Teatro Em Movimento abre programação presencial com “Love, Love, Love”, com Débora Falabella e Yara de Novaes, de 18 a 20 de março

Love love love - Foto Joao Caldas Fº_381764press.jpg

foto: João Caldas

O projeto Teatro em Movimento, no ano em que completa 21 anos, abre a programação presencial de 2022 com o premiado espetáculo “Love, Love, Love”, do Grupo 3 de Teatro, com direção de Eric Lenate, e texto de Mike Bartlett, inédito no Brasil. As atrizes Débora Falabella e Yara de Novaes, fundadoras do Grupo 3 de Teatro, junto com Gabriel Fontes Paiva (que assina a luz), dividem o palco com Alexandre Cioletti, Ary França e Mateus Monteiro. Na trama, uma família conta a história de sua geração  entre 1967 e 2014, abordando, de maneira crítica, o contexto político e social de sua época, e demonstra como somos modificados pelo tempo em que vivemos. Essa será a primeira vez que a montagem é encenada em Belo Horizonte e as apresentações acontecem de 18 a 20 de março, sexta a domingo, no Teatro do Centro Cultural Unimed-BH Minas. 

 

Esta edição do Teatro em Movimento é apresentada pelo Instituto Unimed BH e pelo Instituto Cultural Vale, tem o patrocínio do Itaú e da Cemig e conta com o apoio da CBMM, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, do Ministério do Turismo.

 

“Love, Love, Love” recebeu 15 indicações a prêmios na temporada carioca e Yara de Novaes foi agraciada com prêmio Shell e Questão de Crítica por sua atuação na peça. Este é o segundo texto de Mike Bartlett que o Grupo 3 de Teatro leva para o teatro, sendo que o primeiro “Contrações” também acumula importantes  premiações como APCA, APTR, Questão de Crítica e Aplauso Brasil.

 

“O primeiro texto que lemos de Mike Bartlett foi “Love, Love, Love”. Depois de uma imersão de dois anos de leitura de autores contemporâneos, nos conectamos especialmente com esse autor. Ele é contundente com o momento em que vivemos, é profundo e provocador ao mesmo tempo que tem uma escrita clara e objetiva. Para o Grupo 3, o teatro é lugar de revisitar a história e pensar a questão do tempo político e social. E mesmo Mike escrevendo em Londres, cabe muito bem na pesquisa do grupo”, relata Gabriel Fontes Paiva.

 

Os três (Gabriel, Yara e Débora) ficaram bem impressionados com o tema político revelador de como uma geração é definidora da próxima. Mas, na época, a companhia acabou por decidir montar “Contrações”. “Era perfeito para o momento do grupo, tratamos o tema de dominação em todas as montagens anteriores. Além disso, “Contrações” foi a peça de maior interlocução direta com o público e decidimos repetir Bartlett porque percebemos como era importante avançar nesse movimento”, conta Débora Falabella.

 

A escolha foi certa. A peça rendeu sete prêmios ao grupo que, três anos depois, pode montar “Love, Love, Love”. “O texto conta a história de uma família bem peculiar, mas está tratando do conflito geracional mais atual que poderia ser. É um texto político e também psicológico. É tudo junto como costumam ser as grandes obras”, reflete Yara de Novaes.

 

“Love, Love, Love”

Trata-se de uma obra que, além de descrever uma família com todas as suas idiossincrasias e personalidades, também demonstra como somos modificados pelo tempo em que vivemos. A ação começa em 1967, na noite da primeira transmissão ao vivo de TV via satélite, em que os Beatles cantaram All You Need Is Love. Sandra, bonita e sedutora, recém-ingressada na universidade, marcou um encontro com Henry. Mas ela se interessa por seu irmão mais novo, Kenneth, também de 19 anos e calouro universitário. Em 1990, eles estão confortavelmente em outra realidade – são da classe média, curiosamente negligentes com os dois filhos, em um casamento prestes a ruir. Mas o grande momento é o último ato, em 2011, em uma reunião de família, quando a filha do casal, Rose, que foi uma violinista promissora, agora com 37 anos e muito decepcionada, arremessa sobre eles e sua geração de paz e amor a responsabilidade pelo fracasso da geração dela afirmando: “Você não alterou o mundo, você o comprou”.

 

O grupo  que estreou em 2005 na Casa de Cultura Laura Alvim e já teve seus espetáculos dirigidos por Yara de Novaes, Aderbal Freire Filho e Grace Passô, desta vez convidou Eric Lenate.

 

 Indicações a prêmios

“Love, Love, Love” recebeu as seguintes indicações a prêmios: Botequim Cultural - Atriz - Débora Falabella / Atriz - Yara de Novaes; Cesgranrio - Ator - Rafael Primot (fez a primeira temporada, agora substituído por Alexandre Ciolleti)/ Atriz - Débora Falabella/ Atriz - Yara de Novaes; Shell - Atriz - Yara de Novaes/ Direção - Eric Lenate; Prêmio APTR - Direção – Eric Lenate/ Espetáculo - Love, Love, Love/ Atriz em papel protagonista – Débora Falabella / Atriz em papel protagonista – Yara de Novaes.

 

Ficha Técnica

Autor: Mike Bartlett/ Tradução: Maria Angela Fontes Frederico/ Diretor Artístico: Eric Lenate/ Elenco: Débora Falabella, Mateus Monteiro, Alexandre Cioletti, Ary França e Yara de Novaes/ Iluminação: André Prado e Gabriel Fontes Paiva / Trilha Sonora: L.P. Daniel/ Cenário: André Cortez/ Figurinos: Fabio Namatame/ Direção Técnica: André Prado/ Camareiro: Jô Nascimento e Henrique Arcanjo/ Operação de Som: Rogério Ferraz/ Fotos: João Caldas/ Produção: Grupo 3 de Teatro e Contorno Produções/ Gestão de Projeto: Luana Gorayeb/ Direção de Produção: Gabriel Fontes Paiva / Produção Executiva: Jessica Rodrigues e Victória Martinez 

 

Fotos Love Love Love - crédito João Caldas: 

https://drive.google.com/drive/folders/1pmiCJRItcGmF7uM__OontEg_6qM-YVoN

 

 

Serviço: “Love, Love, Love”

Duração: 140 minutos / Classificação: 16 anos / Gênero: Humor Ácido

DAta/Hrário: de 18 a 20 de março, sexta e sábado, às 20h e domingo, às 18h

Local: Teatro do Centro Cultural Unimed-BH Minas - Rua da Bahia, 2244 - Lourdes, Belo Horizonte

Ingressos: Plateia 1 - R$80,00 (inteira)  e Plateia 2 R$50,00 inteira. 

Meia entrada válida conforme a Lei. 

Vendas: https://www.eventim.com.br/artist/love-love-love/ ou bilheteria do teatro

 

Informações: (31) 3516-1360

Redes sociais Teatro Em Movimento: 

Instagram: https://www.instagram.com/teatroemmovimento

Facebook: https://www.facebook.com/teatroemmovimento

Youtube: www.youtube.com/teatroemmovimento

Twitter: www.twitter.com/teatroemmov  

 

Informações para a imprensa: Luz Comunicação -  @luz.comunica 

Jozane Faleiro - jozane@luzcomunicacao.com.br / 31 992046367

 

 

Grupo 3 de Teatro

Fundado em 2005, o grupo é composto por Débora Falabella, Gabriel Paiva e Yara de Novaes. Realizador das bem-sucedidas montagens teatrais “A Serpente”, de Nelson Rodrigues, dirigida por Yara de Novaes e “O Continente Negro”, de Marco Antônio de La Parra, dirigido por Aderbal Freire Filho. Espetáculos que mantêm em repertório. Além de “Contrações e “O Amor e Outros Estranhos Rumores”.

O Grupo 3 de Teatro atua como produtor em outros segmentos da cultura, como as  mostras “Murilo Rubião - o Reescritor Fantástico” (SESC Paladium e UFMG) e “Mostra Contemporânea de Arte Mineira” (SESC Pompeia e Vila Mariana) e da publicação do livro “O Continente Negro”, tradução para o português do texto dramatúrgico do chileno Marco Antonio De La Parra.  Frequentemente, a companhia estende seu treinamento com oficinas abertas, promovendo o encontro e o diálogo com outras companhias, como quando produziu a oficina "Dramaturgia e Espaço", ministrada pelo chileno Marco Antonio De La Parra e "View Point", por Myriam Rinaldi.  Ainda no campo pedagógico, o grupo compartilha com estudantes de teatro seu processo de criação com oficinas ministradas por integrantes do grupo: A Cena Teatral e Murilo Rubião, Teatro TUCA, ministrados por Yara de Noves, André Cortez e Silvia Gomez, e Espaço Dramaturgia e Atuação – por André Cortez e Yara de Novaes.

O Grupo 3 de Teatro tem sistematicamente criado ações de acessibilidade a novas plateias. Nesse intuito, realizou temporadas e circulação a preços populares ou simbólicos em São Paulo (2008, 2010 e 2011), Rio de Janeiro (2009), Belo Horizonte (2011), Fortaleza, Recife, Maceió, Aracaju e Salvador (2010), Santos, Piracicaba e Araras (2010). E apresentações gratuitas com palestras e debates em 10 periferias de São Paulo e nas periferias das cidades de Campinas, São José dos Campos e Guarulhos, de modo a proporcionar à população de diferentes regiões do país acesso aos seus espetáculos. O grupo desenvolve um trabalho contínuo de formação de novas plateias, por meio de apresentações em periferias, unidades dos CEUs e SESIs, acompanhados de palestras e oficinas.

REDES:  @grupo3deteatro / www.grupo3.art.br

 

Eric Lenate | Diretor 

Ator, diretor e cenógrafo. Em 2005 ingressou no CPT - Centro de Pesquisa Teatral do SESC. Estreou como diretor em 2008 com “O céu 5 minutos antes da tempestade”, de Silvia Gomez, nomeado para o prêmio Qualidade Brasil de melhor espetáculo. Por “Sit Down Drama”, em 2014, foi indicado ao prêmio Shell de melhor direção. Dirigiu também “Mantenha fora do alcance do bebê”, de Silvia Gomez; “Fim de Partida”, de Samuel Beckett, pelo qual foi indicado ao prêmio APCA de melhor ator em 2016, e “Refluxo”, de Angela Ribeiro, pelo qual Lenate recebeu o prêmio Shell 2017 de melhor cenário e foi indicado ao mesmo prêmio na categoria melhor direção. Dirigiu “Love, Love, Love”, de Mike Bartlett, em parceria com o Grupo 3 de Teatro. Por este trabalho, Lenate foi indicado aos prêmios APTR e Shell de 2017 de melhor direção, ambos no RJ. Este trabalho foi indicado em 2018 ao prêmio APCA de melhor espetáculo. Em 2019, por sua atuação no solo “Testemunho Líquido”, de sua autoria e dirigido por Erica Montanheiro, do projeto “Balada dos Enclausurados”, foi indicado ao prêmio APCA de melhor ator.

Débora Falabella | Atriz | Grupo 3 de Teatro

Filha do ator e diretor de teatro Rogério Falabella, Débora descobriu cedo a sua vocação; aos 12 anos já atuava em peças de teatro amador em BH. No Rio de Janeiro ficou conhecida por atuações arrebatadoras em novelas como O Clone e Avenida Brasil. No cinema fez o curta metragem Françoise, de Rafael Conde, que lhe rendeu prêmio de melhor atriz no Festival de Gramado e no Festival de Brasília, e nos longas Dois perdidos numa noite suja (prêmio melhor atriz no Festival de Brasília), de José Joffily, Lisbela e O Prisioneiro, de Guel Arraes e Cazuza - O tempo não para, de Sandra Werneck e Walter Carvalho. Além da vitoriosa trajetória em TV e cinema esteve no palco nos últimos quinze anos participando de espetáculos teatrais onde recebeu prêmios de melhor atriz: Troféu USIMINAS/SINPARC e Prêmio SATED-MG. Atualmente excursiona com o espetáculo Contrações que lhe rendeu 3 prêmios como melhor atriz (APCA; APTR e Aplauso Brasil).

 

Yara De Novaes | Atriz | Grupo 3 de Teatro

Atriz, diretora e professora de teatro fundou em 2005 o Grupo 3 de Teatro, onde alterna seus trabalhos de atriz e diretora, além da direção artística da companhia. Dirigiu como convidada 17 espetáculos nos últimos 12 anos entre eles Tio Vania do Grupo Galpão, Caminho para Meca, com Cleyde Yaconis e Maria Miss, com adaptação da obra de Guimarães Rosa.

Como marca de suas direções, além de um forte trabalho corporal, tem a narrativa como ponto de partida para a criação teatral. Já levou aos palcos autores como Fiodor Dostoievski, Fernando Bonassi, Móricz Zsigmond, Lygia Fagundes Telles, Murilo Rubião e Guimarães Rosa, entre outros.

Trabalhou nas universidades PUC-Minas, UNI-BH e UFPE, ministrando disciplinas na área de interpretação teatral.

Atualmente excursiona com o espetáculo Contrações pelo qual recebeu o prêmio APCA de melhor atriz em 2013 e leciona a disciplina Teatro na Fundação Armando Alvares Penteado.

Alexandre Cioletti | Ator

Ator desde 15 anos, iniciou sua carreira em Belo Horizonte. Dentre seus principais trabalhos em teatro destacam-se: Amigas , Amigas, Homens à Parte – Rogério Falabella/ Dir: Rogério Falabella/ 2004, A Falecida – Nelson Rodrigues/ Dir: Carlos Gradim/ 2004, A Serpente – Nelson Rodrigues/ Dir. Yara de Novaes/2005, Servidão –  Somerset Maugham/ Dir. Carlos Gradim/2007, Olá Pessoa – Edmundo de Novaes/ Dir.Carlos Gradim/2009, # 140 – Felipe Rocha/ Dir. Nando Motta, Do Lado Direito do Hemisferio - Dir. Nando Motta, O Rei e a Coroa Enfeitiçada – Rogério Falabella/Dir. Cynthia Falabella e Débora Falabella. No cinema seus principais trabalhos foram: Depois Daquele Baile – Longa de Roberto Bontempo – 2004, Batismo de Sangue – Longa de Helvécio Ratton –2005, A Chuva nos Telhados Antigos – Curta de Rafael Conde –2005, Fronteira – Longa de Rafael Conde – 2006, 1132 Km – Curta de Haendel Mello, Teobaldo Morto Romeu Exilado – longa de Rodrigo de Oliveira – 2013, Guigo Off Line – Longa de René Guerra e Atrás Dos Olhos das Meninas Sérias – Longa de Carlos Canela. Na televisão, destacam-se os seguintes trabalhos: Tempos Modernos – TV Globo – 2010, Força tarefa– TV Globo – 2011 e Sete Vidas – TV Globo – 2015

PSI  - HBO – 2014, 13 Dias Longe do Sol – TV Globo – 2017 e Toda Forma de Amor – Canal Brasil – 2017

 

Mateus Monteiro | Ator

Ator formado pela Escola de Atores Wolf Maya em 2010 e dramaturgo formado em 2011, pela SP Escola de Teatro. Tem atuado como ator e músico em diversos espetáculos, como: Playground, de Rajiv Joseph, direção de Marco Antonio Pamio (indicado ao Prêmio Shell 2016 de melhor ator); Amarelo Distante, baseado em contos de Caio Fernando Abreu, direção de Kiko Rieser; Memórias (Não) Inventadas, inspirado na obra de Tennessee Williams, dirigido por André Garolli; A Ópera do Malandro, de Chico Buarque, dirigido por Kleber Montanheiro; L'Illustre Molière, direção de Sandra Corveloni entre outros. Em 2016, estreou como diretor com o espetáculo Mente Mentira, de Sam Shepard, sendo indicado ao prêmio Arte Qualidade Brasil 2016 de melhor direção de drama. Atua também como assistente de direção em diversas peças, como: Tudo no seu Tempo, direção de Eduardo Muniz; In Exremis, direção de Bruno Guida; Bull, direção de Flávio Tolezani e Eduardo Muniz. Atualmente é aluno do curso de mestrado na Universidade Presbiteriana Mackenzie em Educação, Arte e História da Cultura.

 

Ary França I Ator

Ary França nasceu na cidade de São Paulo, no Brasil. Iniciou sua carreira no teatro de São Paulo, tendo participado das companhias CPT: Centro de Pesquisa Teatral, Pod Minoga e Teatro do Ornitorrinco. Estreou como ator de cinema em História Familiar (1988), curta-metragem de Tata Amaral.

Seu primeiro trabalho em longas se deu no drama Beijo 2348/72 (1990), de Walter Rogério, ao lado de Maitê Proença e Fernanda Torres. Se destacou por sua atuação em Capitalismo Selvagem (1993), obra exibida nos festivais de Bogotá, Gramado e Brasília. Ficou conhecido pelo público após o longa Durval Discos (2002), as novelas Chocolate com Pimenta (2003-2004) e Morde & Assopra (2011), além da série Samantha! (2018).

 

Teatro Em Movimento

O projeto Teatro em Movimento, coordenado pela Rubim Produções, de Tatyana Rubim, completa 21 anos, em 2022, com o objetivo de descentralizar o acesso às grandes montagens do eixo Rio-São Paulo, promovendo a circulação dos mesmos para Belo Horizonte que tornou-se, ao longo do tempo, praça relevante para a apresentação de importantes repertórios. Além disso o projeto também atua em outros Estados e o outras cidades. Desde então, contabiliza 265 repertórios, que somam mais de 757 apresentações, envolvendo cerca de 830 artistas, em 15 cidades, 30 teatros e público superior a 391.428 mil pessoas. Desde 2020, fundou o TeatroEmMov Digital, que realizou o primeiro curso de teatro digital do Brasil, sendo uma plataforma web que pesquisa, produz e une narrativas do teatro, da dança, do audiovisual e dos games; ambos idealizado por sua diretora Tatyana Rubim.

 

Sobre o Instituto Unimed-BH 

Associação sem fins lucrativos, o Instituto Unimed-BH, desde 2003, desenvolve projetos socioculturais e ambientais visando a formação da cidadania, estimular o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas, ampliar o acesso à cultura, valorizar espaços públicos e o meio ambiente. Ao longo de sua história, o Instituto destinou cerca de R$140 milhões por meio das Leis municipal e federal de Incentivo à Cultura, viabilizado pelo patrocínio de mais de 5,2 mil médicos cooperados e colaboradores. No último ano, mais de 7 mil postos de trabalho foram gerados e 3,9 milhões pessoas foram alcançadas por meio de projetos em cinco linhas de atuação: Comunidade, Voluntariado, Meio Ambiente, Adoção de Espaços Públicos e Cultura, que estão alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030. Clique aqui (https://resultadosinstituto.unimedbh.com.br/2020/) e conheça mais sobre os resultados do Instituto Unimed-BH. 

 

Sobre o Itaú Unibanco

O Itaú Unibanco é um banco digital com a conveniência do atendimento físico. Estamos presentes em 18 países e temos mais de 60 milhões de clientes, entre pessoas físicas e empresas de todos os segmentos, a quem oferecemos as melhores experiências em produtos e serviços financeiros. Temos uma agenda estratégica com foco na centralidade do cliente, que passa por duas transformações: cultural e digital, ambas sustentadas na diversidade do nosso povo. Fomos selecionados pela 22ª vez consecutiva para fazer parte do Índice Mundial de Sustentabilidade Dow Jones (DJSI World), sendo a única instituição financeira latino-americana a integrar o índice desde sua criação, em 1999.

 

 

 

 

Informações para a imprensa Teatro em Movimento 

@luz.comunica - Luz Comunicação

 Jozane Faleiro - 31 992046367 - jozane@luzcomunicacao.com.br