“Música no Hospital” realiza show em homenagem ao Dia Internacional da Mulher 

Flávia Ellen - foto Mayka Bretas .jpg

foto: Mayka Bretas

Para celebrar o Dia Internacional da Mulher, em 8 de março, o projeto “Música no Hospital”, idealizado pelo Instituto Mário Penna e ECA - Espaço de Cultura e Arte, realiza o show “Dengo”, com Flávia Ellen, cantora, compositora e ativista cultural, que vem acompanhada da baixista Larissa Horta e da pianista Glaw Nader. A apresentação vai acontecer no dia 8 de março, segunda-feira, às 10h30, no jardim do Hospital Luxemburgo, com transmissão pelo Instagram e Facebook do ECA (@ecabh) e do Instituto Mário Penna: Instituto Mário Penna (YouTube e Facebook) e Instagram (@institutomariopenna).  “A proposta do “Música no Hospital” é contribuir na recuperação dos pacientes e na humanização do ambiente hospitalar. O projeto é destinado para aqueles que estão internados, seus familiares, visitantes e toda a equipe técnica do hospital e este show, em especial, oferecemos às mulheres nesta data significativa ``, explica Ricardo Matosinho, curador do “Música no Hospital” e diretor do ECA.

 

“Dengo é um pedido de aconchego no outro em meio ao duro cotidiano. É um show de acolhimento ao público em um momento tão difícil para todos nós. Com muita música brasileira, feita por mulheres, as artistas vão levar às pessoas letras e melodias bonitas e conhecidas, um carinho no coração”, adianta Flávia Ellen.

 

No repertório estão canções autorais de Flávia Ellen e outras conhecidas do grande público, como Flerte (Flávia Ellen); Nó (Flávia Ellen/Maíra Baldaia); Perto (Flávia Ellen/Larissa Horta); Filme de Amor (Flávia Ellen/Laura Conrado); Orixás (Flávia Ellen/Rosângela Maluf); Janela da alma (Flávia Ellen); Transborda (Flávia Ellen); Fullgas (Marina Lima/Antônio Cícero); Beija eu (Marisa Monte/Arnaldo Antunes); Desculpe o auê (Rita Lee/Roberto de Carvalho); Agora só falta você (Rita Lee/Luiz Sérgio Carlini); Alô, alô marciano (Rita Lee/Roberto de Carvalho) e Já sei namorar (Marisa Monte/Arnaldo Antunes/Carlinhos Brown). 

 

 

Para atender ao protocolo de segurança referente ao Covid-19, os músicos e a equipe envolvida no projeto usam máscaras e mantém o distanciamento recomendado pela OMS (Organização Mundial de Saúde). Além disso, a apresentação é realizada em área externa. No local, haverá orientação aos presentes quanto ao protocolo para evitar qualquer aglomeração. “A ideia é que a música dissemine pelo hospital e que o som cause uma boa supresa para quem estiver em todo o ambiente hospitalar, trazendo”; conta Gizelle Mesquita Evangelista, coordenadora do Setor de Humanização e Psicologia Hospitar do Instituto Mário Penna. 

 

 

Flávia Ellen é cantora, compositora e ativista cultural. Natural de Belo Horizonte, a música da artista explorou uma de suas identidades em seu primeiro álbum "Desperta" (2019), disco de música popular brasileira com elementos de blues e pop. A temática da obra é o autoconhecimento e o reconhecimento de ser mulher no mundo: o despertar. Flávia é também integrante e fundadora do Coletivo Mulheres Criando, voltado para a promoção da mulher na música. O Coletivo ganhou um prêmio de abrangência nacional (Prêmio Profissionais da Música de 2018) e é um dos responsáveis pela criação do Sonora, maior festival de compositoras do mundo, presente em mais de 60 cidades e 15 países. Dentro desse contexto da mulher na música, Flávia criou o projeto audiovisual Canta Comigo?, voltado para a troca de músicas entre compositoras. Atualmente, a artista vem planejando iniciativas de sua produtora cultural (Dengo Produções), especialmente o projeto Circuito Saraus das Estações (aprovado pelo Fundo Municipal de Cultura de Belo Horizonte) e o Bloco Dengo (2022), para dar vazão a outras identidades artísticas que apresenta. Além do single “Um Pouquinho de Sal”, lançado em 2020 com a cantora Paula Oliveira, Flávia prepara mais novidades para 2021: um EP para o inverno e outro para o verão.

 

Larissa Horta começou sua carreira musical há 18 anos, nos vocais e guitarra de uma banda de pop rock. Há 15 no contrabaixo, teve seus dois primeiros projetos autorais nas bandas Mangassô (soul/samba-rock) e Coletivo M.O.R (mix de rock, pop, MPB e ritmos regionais). Foi integrante do Grupo Rosa dos Ventos por 5 anos (2005 a 2009), fundado pela cantora Titane e pelo diretor teatral João das Neves, onde se aprofundou nas tradições musicais mineiras. Integra o espetáculo “Titane e o Campo das Vertentes”, desde 2006. De 2014 a 2018, foi baixista e backing vocal da cantora Fernanda Takai e circulou com a turnê “Na Medida do Impossível”, do disco que leva o mesmo nome, lançado também em 2014 e registrado em DVD em 2016 no Inhotim, o qual também gravou. Realizou direção musical, arranjos e baixo no espetáculo “Marina Machado: um passeio, um passado, um presente”, em 2017, em homenagem aos 25 anos de carreira da Marina Machado. Também trabalha com musicais, sendo mais recente o espetáculo “Sem medo de ser Elis”, da artista Maria Tereza Costa (2018). Tem se aprofundado em movimentos e composições femininas nos últimos anos, tendo participado dos trabalhos autorais de diversas cantoras de Belo Horizonte, como Amorina e Maíra Baldaia, com quem gravou o DVD “Mais”, em 2018. Atualmente, acompanha Flávia Ellen e Joana Bentes e integra o bloco Truck do Desejo e as bandas OH! DARA e A Luz de Tieta.

 

 

Glaw Nader é paulistana, bacharel em Música pela UFMG onde também é mestranda em Performance Musical. Criada em uma família de músicos, vem desenvolvendo seus estudos na área desde os 10 anos de idade. Em sua carreira musical, tem realizado trabalhos como cantora, instrumentista, produtora, arranjadora, regente e compositora de música instrumental. Participou de vários festivais, atuando como pianista ou como cantora. Já dividiu o palco com grandes artistas como Toninho Horta, Túlio Mourão, Marilton Borges, Cliff Korman, Mauro Rodrigues, Cleber Alves, Wilson Lopes. É cantora, instrumentista, arranjadora e assina a direção musical da Aurora Boreal Jazz Band, com a qual compôs a programação do Savassi Festival/2019. É pianista e tecladista nos festivais de música “Canção Francesa/ALIANÇA FRANCESA – Belo Horizonte e SESIMÚSICA, ambos desde 2016. Assina a direção musical do bloco “A luz de Tieta”, onde é tecladista e cantora. Em dezembro de 2019, gravou com a cantora Amorina no Teatro Raul Belém, pelo Cena Plural, o disco ao vivo IPALÒLÒ – Silêncio novo, como pianista, arranjadora e assinando a direção musical juntamente com Débora Costa.

 

 

Sobre o Instituto Mário Penna

O Instituto Mário Penna é uma instituição filantrópica de saúde especializada em tratamentos contra o câncer. O Instituto é mantenedor das seguintes unidades: Hospital Luxemburgo, Núcleo de Especialidades Oncológicas, Casa de Apoio Beatriz Ferraz e o Núcleo de Ensino e Pesquisa. É o maior prestador do SUS em atendimento oncológico de Minas Gerais, atendendo mais de 760 municípios. Foram atendidas mais de 153 mil pacientes no último ano, o que mostra o comprometimento em atender todos que passam pela Instituição com maestria, e cumprindo com sucesso o legado de 49 anos de história. Doações para a instituição podem ser feitas pelo site mariopenna.org.br ou pelo 0800 039 1441.

 

O projeto “Música no Hospital” é realizado em parceria do Instituto Mário e ECA – Espaço de Cultura e Arte, com o patrocínio da Cedro Mineração e Ibiritermo, com recursos da Lei Federal de Incentivo à Cultura, do Ministério do Turismo.  

 

 

Serviço:  “Música no Hospital” - Flávia Ellen no show "Dengo", com Glaw Nader e Larissa Horta

Dia: 8 de março, segunda-feira, às 10h30

Local: Jardim Hospital Luxemburgo, administrado pelo Instituto Mário Penna - fechado ao público externo.  Transmissão ao vivo pelo Instagram e Facebook do ECA (@ecabh) e do Instituto Mário Penna - Instituto Mário Penna (YouTube e Facebook) e Instagram (@institutomariopenna).

 

 

Informações para a imprensa:

Luz Comunicação  - Jozane Faleiro 

jozane@luzcomunicacao.com.br - 31 992046367