Sempre Um Papo recebe Ana Paula Lisboa, Dalva Maria, Lara de Paula e Júlio Ludemir

O Sempre Um Papo segue com a programação de 2021, ano de comemoração dos 35 anos do projeto. No dia 5 de maio, quarta-feira, às 19h, Afonso Borges recebe Ana Paula Lisboa, Dalva Maria, Lara de Paula e Júlio Ludemir para falar sobre o livro “Carolinas – A Nova Geração De Escritoras Negras Brasileiras” (Bazar do Tempo) com coedição da Flup (Festa Literária das Periferias). Essa será mais uma edição do #SempreUmPapoEmCasa, com acesso gratuito e transmissão no Youtube, Instagram e Facebook do Sempre Um Papo.

O Sempre Um Papo é viabilizado com o patrocínio do Itaú, Rede Mater Dei e Usiminas, com recursos da Lei Federal de Incentivo à Cultura, da Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo.

“Carolinas – A Nova Geração de Escritoras Negras Brasileiras” (Bazar do Tempo).

A obra envolve um conjunto com cerca de 200 textos de mulheres negras e de diferentes regiões do Brasil, participantes de oficinas da Flup (Festa Literária das Periferias), que tem como interseção a herança de Carolina Maria de Jesus (1914-1977) de escreviver, trazendo à tona histórias, cada dia mais silenciadas. O livro surpreende pela diversidade e riqueza de temas, vocabulários, estilos e, sobretudo, pela força da escrita dessas mulheres, que são catadoras, professoras, estudantes, advogadas, produtoras, mães e, agora também, escritoras negras de uma nova geração que deixará a sua marca na literatura brasileira.

Resultado de oficinas de escrita da Flup de 2020, que teve como tema “Uma revolução chamada Carolina”, em celebração aos 60 anos de publicação do “Quarto de despejo – diário de uma favelada”, de Carolina Maria de Jesus, a obra reúne contos, crônicas, diários e relatos de autobiográficos de 180 mulheres de todo o país. A Flup é uma festa literária internacional que acontece em territórios tradicionalmente excluídos dos programas literários. Em nove edições, ganhou prêmios importantes, como Faz Diferença (2012), Awards Excellence (2016), Retratos da Leitura (2016) e Prêmio Jabuti na categoria Fomento à Leitura. Em 2021, celebra uma década de atividade e é responsável pela emergência da primeira geração de escritores oriundos das favelas cariocas.

Carolina Maria de Jesus foi a primeira mulher negra brasileira a fazer sucesso internacional no meio literário e sempre desejou que seu legado fosse perpetuado. Quase 200 sementes brotaram na publicação Carolinas, inspiradas na autora. As colaboradoras da Flup, trilharam os caminhos de diferentes gêneros literários em busca de suas próprias vozes como escritoras. “Carolina Maria de Jesus inaugura uma linha matricial, de mulheres negras, de mulheres pobres, na literatura brasileira. Determinadas épocas e alguns autores criam uma tradição literária; um processo de criação que influencia, que guia uma outra geração” – Conceição Evaristo

Júlio Ludemir é roteirista, produtor cultural e criador da Batalha do Passinho e da Flup (Festa Literária das Periferias). Além de autor de diversos livros, dentre eles, Lembrancinha do Adeus (Planeta, 2004), primeiro romance da literatura brasileira a mergulhar no universo das disputas no Complexo do Alemão (Rio de Janeiro); O bandido da Chacrete (Record, 2008), livro-reportagem que teve sua pesquisa usada no roteiro do filme 400 contra um (Globo Filmes, 2011), do cineasta Caco de Souza e Rim por Rim (Record, 2009), livro-reportagem indicado ao Prêmio Jabuti de Reportagem.

Ana Paula Lisboa nasceu no Rio de Janeiro e, atualmente, divide a moradia entre o Complexo da Maré, localizado na Zona Norte do Rio de Janeiro e Luanda, onde dirige a produtora cultural Aláfia. Formanda em Letras e escritora desde os 14 anos, publicou contos e poesias em coletâneas nacionais e internacionais como a “Estrelas Vagabundas”, “26 novos autores da Flup”, “Eu me chamo Rio” e na “Je suis Favela”. Em 2014, recebeu o 1º Prêmio Carolina de Jesus, dado a pessoas que tiveram suas vidas mudadas pela Literatura. Em 2016, passou a escrever para a revista feminista AzMina e para o Segundo Caderno do jornal O Globo. 

Lara de Paula nasceu em Minas Gerais, no ano de 1995. Arqueóloga nas horas vagas, poeta em tempo integral. Também é Doutoranda em Antropologia, com habilitação em arqueologia, na Universidade Federal de Minas Gerais.

Dalva Maria Soares é graduada em Ciências Sociais com ênfase em Sociologia pela UFMG e doutora em Antropologia Social pela UFSC. É pesquisadora das culturas populares, mais especificamente do Reinado de Nossa Senhora do Rosário, popularmente conhecido como Congado, com ênfase na trajetória de mulheres. Nos últimos anos, tem mediado conversas com mulheres quilombolas do Vale do Mucuri e ministrado oficinas sobre a obra de Carolina Maria de Jesus. Em 2018, participou juntamente com outras 19 mulheres da coletânea Raízes: escritoras negras, resistência histórica, da Editora Venas Abiertas.

 

#SempreUmPapoEmCasa com Ana Paula Lisboa, Dalva Maria, Lara de Paula e Júlio Ludemir 

Dia 5 de maio, quarta-feira, às 19h

Local: Youtube, Facebook e Instagram do Sempre Um Papo

Informações: www.sempreumpapo.com.br

Informações para a imprensa:

Jozane Faleiro – jozane@sempreumpapo.com.br / 31 992046367