SHOW INÉDITO,TEATRO, PERFORMANCES, EXPOSIÇÕES

 E OFICINAS DE FOTOGRAFIA E DISCOTECAGEM

 na primeira semana de outubro no Memorial Vale

divulgação

Performances, teatro, exposições e oficinas, uma de fotografia para a terceira idade e outra de discotecagem marcam a primeira semana de outubro no Memorial Vale. Show inédito “Chegaí Natureza” de Giselle Couto e Regina Souza acontece dia 2 de outubro, este sábado, para comemorar os 10 anos do Memorial Vale.

 

Continuam em andamento as exposições “Festejar as Cores: Tradição e Fé na Congada”, de Pollyanna Assis, “Paisagens do Isolamento, de Daniel Mansur”, “Lastro”, de Washington da Selva e “Entre a Fenda e o Abismo”, de Bárbara Schall.

 

A programação foi selecionada por meio da Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e continua online, seguindo o planejamento do #MemorialValeEmCasa, feitas pelo Youtube, nas redes sociais do espaço (facebook e instagram) e no site. As transmissões feitas pelo Youtube ficam disponíveis permanentemente no canal do Memorial.

 

Confira os detalhes da programação:

 

1º/10 a 15/11 – EXPOSIÇÃO “AS COISAS NÃO CONHECEM COMEÇO E NEM FIM”, DE JÚLIA BAUMFELD

De 1º de outubro até 15 de novembro a fotógrafa Júlia Baumfeld exibe, no site do Memorial Vale, a exposição “As Coisas Não Conhecem Começo e Nem Fim”. O trabalho é um olhar para algo que geralmente não reparamos, um local de descarte. Esse lugar pode soar para

alguns como um espaço onde as coisas colocadas ali apenas desaparecem. Pensar o movimento das coisas, de como elas chegam e para onde elas vão depois de descartadas, numa outra atenção a esse lugar. O evento faz parte do projeto “Mostra de Fotografia” do Memorial Vale.

 

Julia Baumfeld é multiartista, transita entre artes visuais, cinema e música. Natural de Belo Horizonte e graduada em Artes Plásticas pela Escola Guignard, desde 2014 participa de festivais de vídeo e cinema, exposições e projetos de arte. É idealizadora da residência Artística-Plástica-Musical-Feminina POÇA, que ocorreu em sua primeira edição em Belo Horizonte em 2019, e participou como residente do 1º Fórum de Fotoperformance em Belo Horizonte em 2019. Seu trabalho em artes visuais e música se fundem de diversas formas na criação de universos visuais e sonoros. Julia é integrante do coletivo Tarda desde 2017, na qual atua como compositora e artista visual. www.juliabaumfeld.com

 

1º/10 – FILME “TRÓPICO DE CAPRICÓNIO”, DE JULIANA ANTUNES

Dia 1º de outubro, sexta-feira, às 19h30, a cineasta Juliana Antunes apresenta no YouTube do Memorial Vale o curta-metragem “Trópico de Capricórnio”. O filme mostra, por meio de registros pessoais e familiares, como as descobertas sexuais são pontos de atrito com o conservadorismo da sociedade. Narrado em primeira pessoa, Juliana Antunes revê, reenquadra e remixa os descompassos entre a norma e o desejo. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Mostra de Filmes” do Memorial Vale.

 

Juliana Antunes é diretora, roteirista, programadora, assistente de direção e produtora de elenco. Trabalhou como programadora no CINE 104 e foi curadora do Cineclube Aranha, ambos em Belo Horizonte, entre 2017 e 2020. Dirigiu, produziu e roteirizou o longa-metragem intitulado Baronesa , exibido em mais de 100 festivais e cineclubes pelo mundo, o longa conta com 20 prêmios nacionais e internacionais. Baronesa venceu os festivais de Havana, FIC Valdívia, Indie Lisboa, FIDMarseille, Tiradentes, DOC Montevideo e Ourense entre 2017 e 2018. Baronesa também foi eleito melhor Ópera Prima pela revista La Internacional Cinefilia, de Roger Koza.

1º/10 – DICAS PRETAS (1º/10, 08/10, 15/10, 22/10 e 29/10)

Às sextas-feiras, às 11 horas, o Educativo divulga as “Dicas Pretas”. São pílulas, com dicas de livros, filmes, etc. com temática étnico racial e produzida por pessoas negras, dando um destaque para produções literárias destinadas ao público infantil. O objetivo é contribuir para discussões sobre as questões étnico raciais, trazendo indicações de conteúdo que ajudem a refletir e conhecer mais sobre a identidade negra. A ação acontece no Instagram do Memorial Vale e possui legenda descritiva das imagens.

 

02/10 – SHOW “CHEGAÍ NATUREZA”, COM GISELLE COUTO E REGINA SOUZA

No dia 2 de outubro, sábado, às 20 horas, Giselle Couto e Regina Souza apresentam o show “Chegaí Natureza”, no YouTube do Memorial Vale. “Chegaí Natureza” reúne o repertório dos álbuns “Chegaí” e “Natureza”, que foram lançados nas plataformas digitais no ano de 2020. A apresentação é inédita e foi produzida especialmente para as comemorações dos 10 anos do Memorial Vale e faz parte do projeto “Gerais, Cultura de Minas”, do Memorial Vale.

 

Giselle apresenta parte do repertório de “Natureza”, seu novo álbum de inéditas, em que reverencia o samba, a ancestralidade e os elementos naturais. Nesse show, a cantora e compositora apresenta as canções “Natureza” (Fernando Lorenalis, Roberto Moreno), “Pede pra sair” (João Callado, Moyseis Marques), “Linha das águas” (Giselle Couto, Tino Fernandes), “Colher de chá” (Marina Sena), “Última chamada” (Marcio Borges, Thiago Delegado), e recebe Regina na canção “Paixão e maré” (Chico Alves, Toninho Geraes).

 

Regina irá mostrar canções do álbum “Chegaí” um trabalho inédito e autoral, trazendo reflexões sobre a vida, o amor e a espiritualidade. Com produção musical de Du Macedo e Regina, e co-produção de Felipe Fantoni, o álbum apresenta 13 canções autorais em ritmos como samba, baião, ijexá. No show a cantora apresenta “Pra Iansã”, “Vento”, “Baladinha”, “Par perfeito”, “Chegaí”, “Replay”e tem a participação de Giselle na canção “Gira”.

 

03/10 – FILME “HAJA FLOR”, DE MAYARA CRISTINA

Dia 3 de outubro, domingo, às 11 horas, a cineasta Mayara Cristina apresenta o filme “Haja Flor”, no YouTube do Memorial Vale. Haja Flor é uma oração esotérica audiovisual. Uma exaltação da divindade feminina refletida na mulher e na paisagem mineira. A mãe preta, a mãe índia, a mãe peixe... a mãe está na terra. Haja flor para tanta guerra, haja flor pra consagrar cada filho sobre a terra, haja flor. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Mostra de Filmes” do Memorial Vale.

 

Mayara Mascarenhas é artista, congadeira, diretora e cineasta independente. Sua pesquisa é voltada para o cinema-ritual, teatro de rua e performance. Atualmente compõe a Efigênia Audiovisual, produtora ligada às temáticas de cultura popular, periférica, e afroameríndia.

 

04/10 – SENSAÇÕES MEMORÁVEIS TRAZ “A”, COM ALISSON DAMASCENO

No dia 4 de outubro, às 15 horas, Alisson Damasceno realiza a performance “A”, dentro do projeto “Sensações Memoráveis” do Memorial Vale. O personagem “A” apresenta seu mundo e reflete sobre a volta às aulas no pós-pandemia, lançando um olhar sobre a “volta à normalidade” nas escolas e lembrando a sensação de uso do mobiliário escolar todos os dias. A curadoria do Sensações Memoráveis é de Marco Paulo Rolla e a apresentação é pelo YouTube do Memorial Vale.

 

Alisson Damasceno é habilitado em pintura pela Escola Guignard. Participou de várias mostras, dentre elas: 2019 – DizOrdem, BDMG Cultural, Belo Horizonte, MG; 2018 – 27o Encontro de Arte e Cultura ao Pé da Pirâmide do Sertão, Morro da Garça, MG; 2018 – XVII Mostra de Premiados da Escola Guignard, Belo Horizonte, MG; 2017 – Cisco, Lasca, Tris, Galeria de arte DotArt, Belo Horizonte, MG e em 2015 – Zeitgeist, A Arte da Nova Berlim, Centro Cultural Banco do Brasil, Belo Horizonte, MG.

 

O programa Sensações Memoráveis do Memorial Vale foi lançado em 2020 com o propósito da busca em reconectar-se com o ambiente. Uma ecologia humana, trazendo a possibilidade de emanar bons momentos, tendo como objeto de estudo a relação do ser humano com o seu ambiente e seu ser natural. “Nesta nova edição e dentro do contexto que estamos vivendo, queremos estimular práticas onde o bem-estar é aliado ao fazer artístico como desenvolvimento de uma linguagem e/ou produto cultural. Trazendo a diversidade de áreas e formatos como uma estratégia de surpreender de novo e renovar o sentir. A programação será pautada pela linha do sensível, pela escuta, pela delicadeza, pelo cuidado, o surpreender e o rever nossa presença, afetos e ações na vida. Ser um espaço de reconexão através da arte e de temas fundamentais para o bem-estar físico e mental, além da apreciação artística como uma forma de se sentir humano na existência do sensível”, explica o curador, Marco Paulo Rolla.

 

04/10 A 08/10 – “A MÚSICA É PARA TODES”, COM DJ JAMILA MARTINS - BEATLIFE

De 4 a 8 de outubro, às 20 horas, a DJ, empreendedora, produtora de eventos, digital influencer e instrutora de música, Jamila Martins vai ensinar aos amantes de quaisquer gênero musical a conhecer e aprender a discotecagem, utilizando apenas seu notebook ou computador. Trata-se do “A música é para todes”, evento que foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Contemporâneo” do Memorial Vale.

 

Jamila Martins está há 16 anos no mercado como dj e produtora, fundadora do Pranayama Festival e Beatlife, idealizadora do projeto Zaria, residente e representante sul mineira na UH MANAS TV, canal de música com programação inteiramente composta por mulheres em busca de equidade, espaço e reconhecimento na cena musical. Além de ser uma das CEO da CULTURA COSMO, canal de música com programação online semanal. Faz parte do casting de artistas da Ghandi Agency, agência que reúne 25 artistas de todos os estados do Brasil, e dois nomes internacionais. Já compartilhou o palco com artistas nacionais e internacionais, sendo alguns deles: Nargun, Fako, Atropp, Paula, Guiners, Sr Tune, Lulioo, Kamboo, Paula, Golem, Vegas, Janczur, Anginha, Marina Ribeiro, Aura Vortex, Whipthongue, Golomp, Bocara , entre outros. Além de DJ e professora, é digital influencer no meio artístico da música eletrônica, e compartilha diariamente sua rotina profissional, ajudando os mais de 10 mil seguidores que possui em sua conta no Instagram.

 

05/10 A 21/11 – EXPOSIÇÃO “ESTUDOS CARTAS”, COM W. MOTA

De 5 de outubro a 21 de novembro o artista plástico W Mota abre no site do Memorial Vale a exposição “Estudos Cartas”. Nesse processo a ideia do artista é trabalhar sombras, luzes, cores e trazer para sua obra o mistério que esses elementos carregam e a disruptura dos modos convencionais de se pensar a pintura, formas, cores e planos, utilizando no processo o sistema de cores RGB. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Mostra de Fotografia” do Memorial Vale.

 

W Mota possui graduação em Artes Plásticas - Licenciatura pela Escola Guignard - Universidade do Estado de Minas Gerais (2007) e pós-graduação em Artes Visuais - Cultura e Criação pela Faculdade do Senac MG (2011). Atua na área desde 2004 e atualmente também é professor na rede estadual de Minas Gerais. Desenvolve trabalhos que têm como principal referência as marcas e símbolos de matrizes africanas. Através de instalações, pinturas, objetos, intervenções urbanas e vídeos experimentais, W Mota ressalta elementos que compõem e traduzem expressões afro-brasileiras. As obras do artista são inspiradas por processos religiosos e simbólicos da cultura afro-brasileira, utilizando signos, símbolos e cores que transpassam o sagrado e confere a suas criações identidade fortemente enraizadas nos elementos representativos que se tornaram instrumento de resistência dos negros da diáspora. Por meio de suas obras W Mota busca externar suas vivências e posição ideológica, contribuindo com a promoção da Igualdade Racial.

 

06/10 – O SUCUMBIDO, COM GUSTAVO SOUSA

Dia 6 de outubro, quarta-feira, às 19h30, o ator Gustavo Sousa apresenta a peça “O Sucumbido”, no YouTube do Memorial Vale. Livremente inspirada em “Carta de um Defunto Rico” de Lima Barreto, a cena apresenta, entre o cômico e o satírico, o desabafo de um homem de classe média, que mesmo morto queixa-se de suas frustrações pós-vida - suas perdas materiais, as dívidas em seu nome e o velório nada agradável ao seu gosto. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Contemporâneo” do Memorial Vale.

 

O Sucumbido é uma cena curta, livremente inspirada no conto de domínio público “Carta de um defunto rico” de Lima Barreto, a partir de uma adaptação dramatúrgica autoral junto a artista Ariana Santos, que intercala aspectos da literatura, música, teatro e cinema, pelo viés cômico e satírico aos efeitos devastadores do sistema capitalista, mesmo após a morte de um sujeito. O trabalho faz uma crítica ao sistema capitalista voraz, que, como os vermes, devoram o sujeito até a alma. Entre o cômico e o satírico, o ator apresenta o entorno do cemitério do Bonfim em Belo Horizonte, descrevendo sua “vida de morto”. A cena se apresenta como um monólogo, através de uma pluralidade artística entre literatura, cinema, música e teatro, ampliando, assim, as convenções das artes cênicas vistas em plataformas de vídeo, possibilitando novas formas de interação com o público.

 

Gustavo Sousa é ator e arte educador. Formado em licenciatura em Teatro pela UFMG (2015 -2020) e Teatro Universitário (T.U) - UFMG (2013-2015), atuou em mais de 10 espetáculos de teatro sob direção de importantes nomes da cena teatral.

06/10 – SEMENTES DA DIÁSPORA (6/10, 13/10, 20/10 e 27/10)

Todas as quartas-feiras, às 14 horas, o Educativo realiza a instalação “Sementes da Diáspora”. Iniciada em 2019, a ação consiste numa instalação na qual a partir de cards (envelopes com sementes de plantas de origem africana estampados com imagens e informações sobre personalidades afro) instalados no Baobá construído pelo Educativo, o visitante é convidado a “colher” essas sementes e refletir sobre o apagamento do protagonismo negro na nossa história. Nesses tempos de distanciamento por causa da pandemia, a ação continua de forma virtual, nas redes sociais do Memorial Vale e possui legenda descritiva das imagens.

 

07/10 e 8/10 – OFICINA “FOTOGRAFIA PARA A TERCEIRA IDADE: MEMÓRIA AFETIVA, HISTÓRIAS E TÉCNICAS”, COM MARLON DE PAULA

Dias 7 e 8 de outubro, quinta e sexta-feira, às 16 horas, o fotógrafo Marlon de Paula fará no YouTube do Memorial Vale a oficina: “Fotografia para a terceira idade: Memória Afetiva, Histórias e Técnicas”. Em tempos pandêmicos, nos quais a população idosa sofre com uma série de limitações, a oficina busca apresentar conhecimentos sobre o universo fotográfico. Embasando-se na memória afetiva como estímulo, propondo, a partir das leituras de álbuns de família, conhecimentos sobre a linguagem. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Mostra de Fotografia/Oficina” do Memorial Vale.

 

Marlon de Paula (1993) é natural de Timóteo(MG). Atualmente vive e trabalha em Belo Horizonte (MG). É arte-educador, artista visual e performer. Formado em Comunicação Social pela Universidade Federal de São João del-Rei e no Curso Técnico de Preparação de Atores do Teatro da Pedra. Constrói trabalhos que lidam com o corpo, memória e o território. Seus trabalhos encontram-se no cruzamento da performance com a fotografia, o vídeo e a instalação. Participou do projeto “Inter Residências Artísticas” selecionado pelo programa Rede Nacional Funarte (2013), projeto realizado por Pedro Motta, Miguel Chikaoka, Eustáquio Neves e Daniel Perini. Participou do programa de Residência Artística do Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea/RJ (2019). Trabalhou com a bailarina Dorothy Lenner em ações de arte-educação na cidade de Tiradentes(MG) pelo projeto de Ação Cultural Artes Vertentes no ano de 2019.

 

8/10 – SARAU LITERÁRIO “VOZES MADURAS”, COM JERUSA FURBINO

Dia 8 de outubro, sexta-feira, às 19h30, Jesusa Furbino apresenta o sarau literário “Vozes Maduras”, no YouTube do Memorial Vale. O Sarau Vozes Maduras é um projeto inspirado na roda de leitura que acontecia todas as sextas feiras no centro cultural Vila Marçola com o Grupo Vizinha das Cantigas. Mulheres de terceira idade se juntam para ouvir histórias e por meio delas surgem as conversas e interações do grupo. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Sarau no Memorial/Gerais Cultura de Minas” do Memorial Vale.

 

Jerusa Furbino é poeta e escritora. Em 2020 publicou seu primeiro livro de poesias intitulado “Rabiscos” e em julho de 2021, por meio da Lei Aldir Blanc lançou o livro: “Luto - Um passeio da poesia entre o substantivo e o verbo”. Voluntária no grupo Vizinhas das Cantigas desde 2018, onde realiza oficinas de leitura e canto.

 

9/10 – SHOW “ALMA DE MÚSICO”, COM GÊ LARA

Dia 9 de outubro, sábado, às 11 horas, Gê Lara apresenta “Alma de Músico” no YouTube do Memorial Vale. Nesse show Gê Lara mostra sua trajetória musical, passando pelas composições autorais para o público adulto e também um pouco do seu trabalho de 20 anos dedicado ao público infantil. Ele é acompanhado no violão por Renato Saldanha e pelas cantoras convidadas: Diana Lara e Luiza Lara. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Eu Criança no Museu/Gerais Cultura de Minas” do Memorial Vale.

 

Gê Lara é cantor, compositor, instrumentista, regente e escritor, nascido em Divinópolis-MG, em ambiente intensamente musical, com 38 anos de carreira, teve suas primeiras experiências musicais participando do Coral “Pequenos Cantores da Cruz de São Damião” e “Pequenos Rouxinóis de Divinópolis”, quando também ensaiou os primeiros acordes no violão, como autodidata, aos sete anos de idade. Depois de atuar em Belo Horizonte e outras cidades do interior mineiro, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde se aprofundou em canto coral e nos estudos teóricos da música, além de apresentar shows autorais. De volta a Minas, com mais intensidade, dedicou-se às próprias composições e atualmente vem pesquisando a música brasileira, especialmente as influências dos ritmos e festas do interior.

 

9/10 – FILME “4:44 am”, COM MARINA BARROS

Dia 9 de outubro, sábado, às 19 horas, a atriz Marina Barros apresenta o filme “4:44 am”, no YouTube do Memorial Vale. O curta 4:44 a.m, por meio de um texto, de imagens cotidianas e de performances audiovisuais imprime o respiro artístico de dois artistas em diferentes espaços domésticos - Gabriel Beltrão em Santa Luzia, Marina em Raposos - produzido durante o período de quarentena. Em decorrência do isolamento social, muitos artistas tiveram que fazer a migração da capital para o interior, a partir das diversas notícias relatando aumento no índice de violência doméstica contra mulheres negras e pessoas LGBTQIAP+. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Mostra de Filmes” do Memorial Vale.

 

A Pato Filmes, produtora audiovisual, nasceu em 2018 idealizada pelo Gabriel Beltrão @gabriellbeltrao_ e Marina Barros @marinaquechama. É resultado da parceria entre dois artistas e publicitários que apostam na interdisciplinaridade de linguagens para cada produção de seus projetos. Gabriel Beltrão é ator, publicitário e fundador da Pato Filmes. Marina Barros é atriz, produtora cultural, estudante de Publicidade e Propaganda e fundadora da PatoFilmes

 

10/10 – PERFORMANCE “999”, com Carolina Correa

Dia 10 de outubro, domingo, às 18 horas, a atriz Carolina Correa apresenta a performance 999, no YouTube do Memorial Vale. A apresentação é uma proposta que traz para a cena os elementos e os códigos do "Teatro de los Sentidos", grupo colombiano, sediado em Barcelona e que busca a linguagem sensorial recobrando o corpo como fonte de conhecimento. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Contemporâneo” do Memorial Vale.

 

Cada espectador diante da tela vivencia a performance de uma maneira e de um sentir específicos, perguntas sāo feitas e cada um tem a sua própria resposta, voltando no tempo e recriando sua história. É ele quem cria, forma e deforma suas próprias imagens. Uma performance na penumbra, nas perguntas e no silêncio.

 

Carolina Correa é atriz, diretora, performer e coordenadora internacional do Corredor Latinoamericano de Teatro. Dirige e atua em trabalhos auto- ficcionais. Carolina é Pós-Graduada em "Teatro de los Sentidos" / Universidad de Girona / Espanha e Pós- Graduada em Performance e Arte / Faculdade Angel Vianna – 2013 - Rio de Janeiro. Graduada em Comunicação Social pela PUC MG – 1998 e Professora de Língua Espanhola - Colégio Rudolf Steiner MG - Waldorf. Fundadora do Grupo Dos Dois, da Soller Centro de Artes e

idealizadora do Encontro Latinoamericano de Teatro / Nova Lima / Brasil.

 

 

EXPOSIÇÕES EM ANDAMENTO

 

ATÉ 05/10 – “FESTEJAR AS CORES: TRADIÇÃO E FÉ NA CONGADA”, DE POLLYANNA ASSIS

Até o dia 5 de outubro, a fotógrafa Pollyanna Assis apresenta, no site do Memorial Vale, a exposição “Festejar as Cores: Tradição e Fé na Congada”. A mostra foi selecionda pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021. Trata-se de uma série de fotografias realizadas na cidade de Ouro Preto, em 2014, durante a Festa do Reinado de Nossa Senhora do Rosário e de Santa Efigênia. O objetivo do registro das imagens é contribuir para a preservação dessa importante tradição mineira. A exposição integra o projeto Mostra de Fotografia do Memorial Vale e faz parte da Programação da Semana do Patrimônio 2021, ação conjunta do Memorial Vale com o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA-MG), em comemoração ao Dia Nacional do Patrimônio Cultural, celebrado em 17 de agosto.

 

Pollyanna Assis é artista, produtora cultural e editora de livros, experimenta nas artes gráficas como diagramadora de livros e nas artes visuais com fotografia experimental. Também cria em linguagens artísticas como o desenho, a cerâmica e a gravura em metal. Desenvolve projetos para leis de incentivo e editais desde o ano de 2014. Atualmente seu foco é produzir o trabalho de mulheres artistas, com o objetivo de fomentar e valorizar a inclusão de mais mulheres nos seguimentos culturais, tanto na criação artística e cultural como na gestão de projetos. Sua aproximação com as artes inicia-se com o trabalho de edição de livros, produção cultural e fotografia.

 

ATÉ 15/10 – “PAISAGENS DO ISOLAMENTO”, DE DANIEL MANSUR

Até 15/10 o fotógrafo Daniel Mansur apresenta, no site do Memorial Vale, a exposição “Paisagens do Isolamento”. As fotos foram registradas entre as quatro paredes da casa do autor durante o isolamento. As projeções de luzes e sombras revelam paisagens singulares e cheias de significados. A exposição foi selecionada pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto Mostra de Fotografia do Memorial Vale.

 

Daniel Mansur é fotógrafo de Belo Horizonte, formado em Publicidade pela PUC MINAS em 1987. Atua na fotografia autoral, de arte, publicitária, arquitetura e editorial. Já realizou dezenas de exposições, no Brasil e no exterior.

 

ATÉ 25/10 – “LASTRO”, DE WASHINGTON DA SELVA

Até 25 de outubro o artista Washington da Selva apresenta no site do Memorial Vale a exposição Lastro. O trabalho nasce de uma pesquisa em que Da Selva procura imagens relevantes para uma construção da memória do trabalho de seus familiares como agricultores, recorrendo a acervos digitais. O artista utiliza solvente para imprimir as imagens manualmente em cupons de registro de ponto do trabalhador de seu último emprego. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021, integra o projeto “Mostra de Fotografia” do Memorial e faz parte da Programação especial de 10 anos do Memorial Vale.

 

Washington da Selva é artista e pesquisador. Graduado em Artes e Design pela Universidade Federal de Juiz de Fora, e Mestre em Artes, Cultura e Linguagens pela mesma instituição. Atualmente, tem se interessado pelos procedimentos de deslocamento e apropriação na paisagem. Experimenta a construção de uma poética autoetnográfica, onde utiliza de narrativas de experiências familiares de trabalho na zona rural do Cerrado de Minas Gerais. É bolsista do Lab Cultural 2021, programa de incentivo a processos artísticos do BDMG Cultural, onde pesquisa as roupas de proteção utilizadas no trabalho rural da região do Cerrado de Minas Gerais.

 

ATÉ 05/11 – EXPOSIÇÃO “ENTRE A FENDA E O ABISMO”, DE BÁRBARA SCHALL

Até dia 5 de novembro a fotógrafa Bárbara Schall abre a exposição “Entre a Fenda e o Abismo”, no site do Memorial Vale. "Entre a Fenda e o Abismo" é uma exposição fotográfica que coloca em diálogo dois territórios, o primeiro localizado na Rota do Diamante, na região da cidade de Diamantina, no Brasil e o segundo localizado no Caminho dos Incas, na região mais árida do mundo, Quilágua, em Atacama, Chile. O evento foi selecionado pela Convocatória de Programação do Memorial Vale 2021 e integra o projeto “Mostra de Fotografia” do Memorial Vale.

 

Bárbara Schall (1984, Belo Horizonte, Brasil) vive e trabalha atualmente em Belo Horizonte, Minas Gerais. Formada em Bacharelado em Artes Plásticas pela Universidade Estadual de Minas Gerais – Escola Guignard e especialização em fotografia pela Akademie der Bildenden Künste München (DAAD). Atualmente é mestranda em Artes Visuais na Escola de Belas Artes, UFMG, bolsista CAPES. Colaborou como artista em exposições coletivas e realizou exposições individuais. Possui trabalhos no MARP - Museu de Arte de Ribeirão Preto, MAM - RJ - Coleção Gilberto Chateaubriand e MAC - Niterói.

 

 

Memorial Minas Gerais Vale – 10 anos com você

O Memorial Minas Gerais Vale está completando 10 anos com muitas histórias para contar. O museu já recebeu mais de 1,1 milhão de pessoas, de todos os lugares do Brasil e de outros continentes. São mais de 1.600 eventos realizados e cerca de 200 mil pessoas em visitas mediadas. Integra o Circuito Liberdade, em Belo Horizonte, um dos maiores complexos de cultura do Brasil. Caracterizado como um museu de experiência, com exposições que utilizam arte e tecnologia de forma intensa e criativa, é um dos vencedores do Travellers’ Choice Awards do TripAdvisor. Na curadoria e museografia de Gringo Cardia, cenários reais e virtuais se misturam para criar experiências e sensações que levam os visitantes do século XVIII ao século XXI.

 

Mais que um espaço dedicado às tradições, origens e construções da cultura mineira, o Memorial é um lugar de trânsito e cruzamento entre a potência da história e as pulsações contemporâneas da arte e da cultura, onde o presente e o passado estão em contato direto, em permanente renovação. É vivo, dinâmico, transformador e criador de confluências com artistas independentes e com diversos segmentos da cultura mineira.

 

Circuito Liberdade

O Memorial Minas Gerais Vale é integrante do Circuito Liberdade, complexo cultural sob gestão da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) e que reúne diversos espaços com as mais variadas formas de manifestação de arte e cultura em transversalidade com o turismo. Trabalhando em rede, as atividades dos equipamentos parceiros ao Circuito buscam desenvolvimento humano, cultural, turístico, social e econômico, com foco na economia criativa como mecanismo de geração de emprego e renda, além da democratização e ampliação do acesso da população às atividades propostas.

 

 

Memorial Vale na web:

http://www.memorialvale.com.br

https://www.facebook.com/memorialvale 

https://www.instagram.com/memorial.vale 

https://www.youtube.com/user/memorialvale

www.memorialvale.com.br/visite/visita-virtual/

 

Hashtags usadas nas postagens do Memorial Vale na quarentena:

#MemorialValeEmCasa

#MuseumsAndChill

#MemorialValeNosUne

#ValePatrocina

 

ASSESSORIA DE IMPRENSA

________________________________________________

Luz Comunicação - www.luzcomunicacao.com.br

Coordenação: Jozane Faleiro – 31 3567-6714 | 9.9204-6367 jozane@luzcomunicacao.com.br

Atendimento: Janine Horta – 31 9.71448232 - imprensa@luzcomunicacao.com.br

 

RELACIONAMENTO COM A IMPRENSA – VALE

Ludymilla Sá 31 - 3916-2027 |

Ludymilla.desa@vale.com