TEATRO EM MOVIMENTO APRESENTA “ BAIXA TERAPIA” , COM ANTONIO FAGUNDES E BRUNO FAGUNDES NO ELENCO
MUSICAL INFANTIL “O TUBARÃO MARTELO E OS HABITANTES DO FUNDO DO MAR” FAZ ÚNICA  APRESENTAÇÃO NO DIA 11 DE MARÇO, NO TEATRO BRADESCO, EM BH

 

Em sua 17ª edição, o Festival Teatro em Movimento recebe em sua programação a  aclamada comédia Baixa Terapia, assistida por mais de 90 mil pessoas, desde a estreia, no Rio de Janeiro, em março de 2017. Sucesso de público e crítica, a comédia é assinada pelo argentino Matias Del Federico, tem direção de Marco Antônio Pâmio e tem elenco liderado por Antonio Fagundes, que divide o palco com Mara Carvalho, Alexandra Martins, Ilana Kaplan, Fábio Espósito e Bruno Fagundes. A trama gira em torno de três casais de diferentes gerações que se encontram para uma sessão de terapia. A psicóloga não aparece. Deixa só a instrução para que cada um converse com o grupo sobre seus problemas. A trupe que iniciou turnê em abril de 2018 e passará por mais de 20 cidades do Brasil, Estado Unidos e Portugal, chega a Belo Horizonte para duas apresentações no Sesc Palladium, dias 19 e 20 de maio, sábado, às 21h e domingo, às 19h. As duas sessões contarão com tradução em Libras. Haverá bate-papo com o elenco após a sessão de sábado.

 

Na capital mineira, “Baixa Terapia” é uma realização do Festival Teatro em Movimento e do Sesc, com o patrocínio da Rede e Unimed, via Lei Federal de Incentivo à Cultura.

 

O texto

A debochada comédia com um final surpreendente apresenta três casais, um após o outro, que chegam para uma sessão de terapia. Quando se encontram, descobrem que a psicóloga não foi e terão que conduzir a sessão em grupo. Ela deixou a sala preparada com café, água e bastante whisky, além de uma  mesa com envelopes numerados, repleto de instruções de como devem conduzir essa sessão especial. O objetivo é que todas as questões sejam resolvidas em grupo.

 

A partir daí vem à tona queixas, confissões, suspeitas, revelações, verdades e mentiras da maneira mais escrachada para eles e divertidíssima para o público. Os três casais são formados por Ariel (Antonio Fagundes) e Paula (Mara Carvalho), Estevão (Bruno Fagundes) e Tamara (Alexandra Martins) e Roberto (Fábio Espósito) e Andrea (Ilana Kaplan). São pessoas com diferentes problemas e conflitos. A sessão corre regada a whisky e vai se aprofundando nos problemas de todos eles.

 

Cada envelope trata de temas para cada um dos casais. O ambiente vai esquentando até tornar-se quase caótico. Não são todos que estão dispostos a se abrir para falar dos assuntos que os afligem e aos seus parceiros - já que ocultam algo que jamais revelariam. No final, a sessão de terapia se converte em uma armadilha hilariante. “Já teve uma "DR"? Você não imagina a deles! Baixa Terapia é uma louca comédia com diálogos ácidos, às vezes contraditórios, que fluem num ritmo vertiginoso e mantém o público ligado desde o primeiro minuto. O público quer rir, e percebi, em uma viagem a Buenos Aires, que esse texto geraria um espetáculo de qualidade e apelo”, diz Antonio Fagundes.

 

Ensaios Abertos

Assim como aconteceu em “Vermelho”, espetáculo com Antonio e Bruno Fagundes, que também esteve em Belo Horizonte, em 2016, “Baixa Terapia” teve ensaios abertos, para que o público pudesse acompanhar todo o processo de criação, desde o primeiro dia de produção. Ao longo dos ensaios, cerca de 800 pessoas acompanharam o elenco decorando o texto, criando as marcas, até a data de estreia em São Paulo (dia 16 de março de 2017).

Horário marcado

Como sempre ocorre nos espetáculos de Antonio Fagundes, não será permitida a entrada após o início da sessão.

 

Ficha Técnica

 

Texto: Matias Del Federico /Adaptação: Daniel Veronese / Tradução: Clarisse Abujamra

Direção: Marco Antônio Pâmio / Elenco: Antonio Fagundes, Mara Carvalho, Alexandra Martins, Ilana Kaplan, Fábio Espósito e Bruno Fagundes / Diretor de produção: Carlos Martin / Realização em Belo Horizonte: Teatro em Movimento e Sesc, com patrocínio da Rede e Unimed, via Lei Federal de Incentivo à Cultura.

 

 

Serviço

Teatro em movimento apresenta: “Baixa Terapia”, com Antonio Fagundes e elenco

Duração: 90min / Classificação etária: 14 anos

Data: 19 e 20 de maio, sábado às 21h e domingo, às 19h

O espetáculo começa rigorosamente no horário e não é permitida a entrada após o início do espetáculo.

Local: Grande Teatro Sesc Palladium - Av. Augusto de Lima, 420 - Centro

Ingressos:

Plateia I e II : Inteira: R$ 80,00 / Meia entrada: R$ 40,00

Plateia III: Inteira: R$ 60,00 / Meia entrada: R$ 30,00

Informações: (31) 3270-8100

Site: www.teatroemmovimento.art.br

 

Informações para a imprensa:

Jozane Faleiro - jozane@luzcomunicacao.com.br - 31 992046367 - 35676714

 

 

SOBRE O FESTIVAL TEATRO EM MOVIMENTO

 

O projeto Teatro em Movimento, coordenado pela Rubim Produções, de Tatyana Rubim, completa 18 anos, em 2018, com o objetivo de descentralizar o acesso às grandes montagens do eixo Rio-São Paulo, promovendo a circulação dos mesmos para Belo Horizonte que tornou-se, ao longo do tempo, praça relevante para a apresentação de importantes repertórios. Além disso, o projeto também atua em outros Estados e o outras cidades. Desde então, contabiliza 178 montagens, que somam mais de 526 apresentações, envolvendo cerca de 552 artistas, em 14 cidades, 27 teatros e público superior a 394.214 mil pessoas.

 

Inicialmente, atuando em Minas Gerais e seu entorno, o projeto trouxe à capital mineira e algumas cidades do interior, espetáculos com peso nacional, tendo no elenco atores como Bibi Ferreira, Lázaro Ramos, Tais Araújo, Selton Mello, Renata Sorrah, Thiago Lacerda, Grace Passô, Débora Falabela, Yara de Novais, Mateus Solano, Glória Menezes, Antônio Fagundes, Nicete Bruno, Paulo Goulart, Marco Nanini, Luana Piovani, Lilia Cabral, Rodrigo Lombardi, Cláudia Raia, Marisa Orth, Paulo Gustavo, Julia Lemmertz e muitos outros. Dentre os espetáculos que o projeto deslocou para a capital mineira estão “Hamlet”, “Incêndios”, “Esta Criança”, “Gonzagão –a Lenda”, “Bibi Ferreira –Histórias e Canções”, “Quem Tem Medo de Virgínia Woolf”, “O Grande Circo Místico”,  “New York, New York”, “Bem-vindo, Estranho”, “Milton Nascimento –Nada SeráComo Antes”, “Cassia Eller –o Musical”, “Azul Resplendor”, “Poema Bar”e muitos outros.

 

O projeto também já atuou em outras cidade brasileiras, como São Luiz (MA), Vitória (ES) e Aracajú(SE), Corumbá(MS), São Paulo (SP), Mangaratiba (RJ), Canaãdos Carajás.(PA) Em Minas Gerais, além de Belo Horizonte, o projeto atua ou já atuou em Imperatriz, Açailandia, Parauapebas, Mangaratipa, Itabirito, Mariana, Ourilandia, Ouro Preto, Araxá, Tiradentes, Betim, Contagem, Ipatinga, Nova lima e Juiz de fora. Os resultados do projeto vão além da inclusão das cidades na circulação das montagens. A iniciativa possibilita a formação de um espectador mais crítico e de um público mais preparado e habituado a lotar as salas dos teatros. A ideia éconsolidar o hábito de ir ao teatro e fomentar a cultura das artes cênicas, por isso os espetáculos acontecem ao longo do ano e não concentrados em um curto período como nos festivais. O teatro, sendo um agente de transformação social, écapaz de atuar como um difusor de ideias e de cultura podendo ser usado como um instrumento de comunicação. Para ratificar a potencialidade de transformação social e cultural do teatro e colocar em prática os objetivos do projeto, o Teatro em Movimento ainda promove, sempre que possível, oficinas gratuitas, palestras e workshops para profissionais da área e interessados. Dessa forma, cria-se uma rede de circulação de informação fortalecendo a possibilidade de sustentabilidade do setor cultural