Oficinas presenciais de slam, de empreendedorismo, de escrita literária e muitas outras compõem a programação do Fliaraxá 

Foto 13 - A oficina Slam para Carolina surge para enaltecer a vida e obra da autora de _Qu

FOTO: Divulgação

O 10.° Festival Literário de Araxá –Fliaraxá –, que acontece entre os dias 11 e 15 de maio, oferece em sua programação diversas oficinas presenciais e gratuitas. Ligadas à temática desta edição do Festival, “Abolição, Independência e Literatura”, elas ensinam desde ferramentas e técnicas de empreendedorismo; a arte do Slam – uma modalidade de competição de poesia falada; até a produção de mandalas; amarração de turbantes; escrita literária e bordado. 

Uma diversidade de oficinas compõem a programação do Festival, com destaque para “Fika Ryca Favelinha”, “Slam” com Rogério Coelho e “Slam para Carolina”. Para participar de qualquer uma das oficinas, basta chegar com antecedência no local, nos horários indicados e procurar alguém da equipe do Fliaraxá para registrar o nome e receber o certificado ao fim. 

Confira, a seguir, informações sobre as oficinas, além das datas, horários e locais de realização:

Oficina “Fika Ryca Favelinha” - Dias 11, 12 e 13/5, das 18h às 22h , no Palco Carolina Maria de Jesus, no externo do Teatro Municipal de Araxá (Av. Antônio Carlos, s/n, Centro, Araxá)

O “Fika Ryca Favelinha” é uma oficina que mostra o potencial da favela para gerar renda, desenvolver a economia e transformar realidades. Com exposição de ideias e do compartilhamento de experiências, os participantes aprendem técnicas e ferramentas de empreendedorismo para colocar em prática seus projetos.

A oficina parte da experiência do Centro Cultural Lá da Favelinha, uma iniciativa independente e sem fins lucrativos que surgiu em 2015, no Aglomerado da Serra, em Belo Horizonte. Combinando economia e sustentabilidade, o espaço atende, principalmente, a crianças e jovens da comunidade, com oficinas técnicas, artísticas e culturais. 

 

“Oficina de Slam” com Rogério Coelho

Slam, ou Poetry Slam, é uma modalidade de competição de poesia falada e um movimento que já acontece no mundo inteiro há mais de 30 anos. No Brasil, existem competições estaduais, nacionais e interescolares de slam. Todos os anos, são escolhidos representantes desta modalidade para a Copa do Mundo da Poesia em Paris, na França.  Além de mostrar como funciona a dinâmica dos campeonatos e ensinar sobre os poetas do mundo inteiro, essa oficina vai realizar uma edição especial de slam dentro do Fliaraxá 2022 com os participantes. A oficina será ministrada por Rogério Coelho, que é poeta, dramaturgo e articulador do Coletivoz Sarau de Periferia, desde 2008, e Slammaster do Slam Clube da Luta e Slam MG, desde 2014. Graduado em Letras pela PUC-Minas, é mestre em Artes pela UFMG, com pesquisa em performance da poesia oral Sarau Coletivoz e Slam Clube da Luta. É doutorando pela Faculdade de Letras da mesma universidade, com pesquisa nas “Afrografias” de performances negras nos Slams. Acompanhe Rogério Coelho no Instagram.

“Oficina de Slam” com Rogério Coelho

Dias, horários e local:

13 e 14/5, das 10h às 12h e das 14h às 16h.

1.º dia:  13/5 – manhã: Oficina de escrita criativa e percurso do Slam por Minas, Brasil e pelo Mundo

1.º dia:  13/5 – tarde: Mostra de poetas e construção de um Zine.

2.º dia:  14/5 – manhã: Práticas de performance da poesia falada, com a participação de poetas convidados para o Slam.

2.º dia:  14/5 – tarde: Participação no “Slam para Carolina” no Fliaraxá, com as/os participantes da oficina.

Local: Palco Carolina Maria de Jesus, no externo no Teatro Municipal de Araxá (Av. Antônio Carlos, s/n, Centro, Araxá)

Oficina “Slam para Carolina”

O “Slam para Carolina” teve sua primeira edição em 2019, na cidade de Sacramento-MG. Ele surgiu após o convite do Slam Ondaka à Hora do Rap, pelo Projeto Nômade Slam, que tem por objetivo criar slams em cidades que não têm essa modalidade, fomentando, assim, a cultura e a arte. Desde então, o “Slam para Carolina” tem se juntado a demais Slams na proposta de enaltecer a importância da poesia, dar voz às pessoas e espalhar a palavra.

Além de ter estado presente nos Slam MG de 2019, 2020 e 2021, o “Slam para Carolina” realizou edições on-line no ano passado quando participou do Pós-Fliaraxá, na primeira vez em que o Festival realizou uma Batalha de Slam, com o intuito de homenagear a vida e a obra da autora Carolina Maria de Jesus. 

Carolina Maria de Jesus, nascida em Sacramento-MG, é considerada uma das mais importantes escritoras do país. Autora de “Quarto de despejo: diário de uma favelada”, destaca-se também por seus trabalhos como compositora e poeta. Agora, o “Slam para Carolina” chega a Araxá para sua segunda edição, prestando mais uma vez homenagem a essa grande escritora brasileira. 

Oficina “Slam para Carolina”  Datas, horários e locais: dias 13/5, das 20h às 23h, e 14/5, das 17h às 19h, no Palco Jeferson Tenório, interno do Teatro Municipal de Araxá (Av. Antônio Carlos, s/n, Centro, Araxá) e dia 15/5, das 14h às 16h, no Palco Itamar Vieira Junior, no Grande Hotel Termas de Araxá (R. Águas do Araxá, s/n, Barreiro, Araxá).

 

Oficina Roda de conversa  “Afeto e Poesia: mulheres negras e o amor”, ministrada pela autora Reva, natural de Patrocínio. 

Data e local:  14/5, das 13h às 15h – Espaço Entre-Árvores 1 (externo do Grande Hotel Termas de Araxá (R. Águas do Araxá, s/n, Barreiro, Araxá). 

Tomando como base o texto Vivendo de amor, de Bell Hooks, autora, professora, teórica feminista, artista e ativista antirracista estadunidense, a roda de conversa propõe uma troca de experiências com algumas intervenções artísticas a fim de se falar sobre como são as relações de amor, o impacto da escravidão no ato de amar  e como o amor é visto e sentido pelas mulheres negras. Duração: 40 minutos. 

 

“Oficina Literária Hídrica”, com Pam Araújo (Slam das Minas) 

Data e local:  14/5, das 14h às 15h – Espaço Entre-Árvores 2

O que você escreveria se vendo no espelho? Com o objetivo de despertar e incentivar o olhar para as diferentes formas de escrever e interpretar textos poéticos, em verso ou prosa, com ou sem rima, a autora Pam Araújo convida a todos a escrever para si, com o olhar pra dentro e ajuda de outras escritoras e escritores já renomados na literatura. Assim como hídrica é um mergulho interno, essa oficina propõe a poética da imagem, dos detalhes e sentimentos.

 

“Oficina Mandalas” 

Data e local:  14/5 e 15/5, das 10h às 12h – Espaço Entre-Árvores 1

Oficina de amarração de turbantes – com Marisa Rufino 

Data e local:  14/5, das 10h às 11h – Espaço Entre-Árvores 2

 

Oficina literária: a escrita delas – com Pam Araújo, Pêagá e Lisa Alves 

 Data e local:  14/5, das 11h às 12h – Palco Itamar Vieira Junior

 

Oficina “Palavras Bordadas” – com Marisa Rufino 

 Data e local:  14/5, das 13h às 15h  – Espaço Entre-Árvores 1

 

Localização dos espaços:

– Palco Maria Firmina dos Reis (Cine Theatro Tiradentes, localizado dentro do Grande Hotel Termas de Araxá)

– Palco Itamar Vieira Junior (Arena Barreiro – montagem na área externa do Grande Hotel Termas de Araxá)

– Palco Carolina Maria de Jesus (montagem na área externa do Teatro Municipal Maximiliano Rocha, no Centro de Araxá)

– Palco Jeferson Tenório (localizado na área interna do Teatro Municipal Maximiliano Rocha, no Centro de Araxá)

– Espaço Entre-Árvores 1 (localizado na área externa do Grande Hotel Termas de Araxá, no Barreiro)

– Espaço Entre-Árvores 2 (localizado na área externa do Grande Hotel Termas de Araxá, no Barreiro)

– Coreto no Barreiro (localizado na área externa do Grande Hotel Termas de Araxá, no Barreiro)

– Espaço Tom Farias (área de autógrafos localizada na área externa do Grande Hotel Termas de Araxá, no Barreiro)

 

Programação sujeita a alteração. 

Para informações, acesse a programação completa no site: fliaraxa.com.br.

 

Fliaraxá

O Ministério do Turismo e a CBMM apresentam com exclusividade o 10.º Fliaraxá, com o patrocínio da Cemig e do Itaú e apoio da Rede Mater Dei de Saúde, Grupo Zema, Prefeitura Municipal de Araxá, Fundação Cultural Calmon Barreto, Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Turismo e Inovação Tecnológica, Central Única das Favelas – Cufa de Araxá –, com recursos da Lei Federal de Incentivo à Cultura, da Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo.

 

 

Serviço: 10.º Festival Literário de Araxá – Fliaraxá

 

De 11 a 15 de maio, de quarta-feira a domingo

 

Tema: “Abolição, Independência e Literatura”

 

Formato híbrido – transmissão em tempo real pelas plataformas do Festival Youtube e Facebook – @fliaraxa

 

Locais: Grande Hotel, Teatro Municipal Maximiliano Rocha, Parque do Cristo e Fundação Cultural Calmon Barreto.

 

Informações: @fliaraxa – www.fliaraxa.com.br