Marcelo Ricco

Marcelo Ricco

Foto: Alysson Jardin

Marcelo Ricco

Marcelo Ricco

Foto: Alysson Jardin

Marcelo Ricco

Marcelo Ricco

Foto: Alysson Jardin

Marcelo Ricco

Marcelo Ricco

Foto: Alysson Jardin

Marcelo Ricco

Marcelo Ricco

Foto: Alysson Jardin

Marcelo Ricco estreia o infantil

“O menino mais rico do mundo”

 

 

Sozinho no palco, o ator interpreta um catador de papel, que usa a poesia e a música para estimular a imaginação da plateia e falar de temas importantes como meio ambiente e importância da leitura. De 14 a 29 de março, sábado e domingo, às 16h, no Cine Theatro Brasil

 

 

O ator Marcelo Ricco apresenta seu primeiro monólogo infantil, “O menino mais rico do mundo”. No palco, ele dá vida a um "pequeno" catador de papel,  que é rico, mas de sonhos e de imaginação. O menino convida a plateia para um dedo de prosa, na qual a educação ambiental é abordada de forma bastante divertida. Com texto de Xico Abreu, a peça traz poesia e também músicas autorais. Sob a direção de Diego Benicá (que também assina a cenografia e o figurino), temas como reciclagem, importância da preservação da natureza, a economia de água, alimentação saudável, incentivo à leitura e valorização da cultura popular, são  abordados com muita interatividade e humor. A estreia ocorre em 14 de março e segue até o dia 29, sempre sábado e domingo, às 16h, no Teatro de Câmara, do Cine Theatro Brasil Vallourec, em Belo Horizonte.

 

Esse é o quarto espetáculo infantil de Marcelo Ricco - fez “Joãozinho e Maria”, “A Bela Adormecida” e “Uma aventura saborosa” - mas é o primeira montagem que está sozinho no palco para crianças. “Nessa peça, o maior desafio para mim, que já estou habituado a monólogos, é reencontrar a sensibilidade de uma criança adormecida em mim. Estar com quase 40 anos e falar a mesma língua das crianças, com certeza, é um estimulante. Trata-se de um público muito exigente. Não é qualquer “historinha” que os convence. Tem que ser de verdade, tem falar o que as crianças querem ouvir”, explica Ricco. Mas para encarar essa empreitada, o ator se juntou ao experiente Diego Benicá, premiado pela direção de “Pluft. O fantasminha camarada”, “A menina e o vento”, “Aladim”, “O Pequeno Príncipe”, entre outros. “A parceria como o Diego foi sonhada e idealizada por nós dois há algum tempo. Ambos, já se observavam como artistas em razão dos nossos últimos trabalhos. Não imaginávamos que seria neste ou naquele trabalho, só acreditávamos que um dia trabalharíamos juntos. E tudo deu certo para que fosse agora e estou muito empenhado e feliz com este encontro, neste texto tão elaborado de Xico Abreu”, revela. Para o ator, o tema educativo do espetáculo vem de encontro ao papel que o teatro tem junto a formação das crianças. “Eu buscava um texto solo, que falasse de situações reais de forma poética, sem enganações. Pessoalmente, acho que este é o papel do teatro infantil. O de caráter educativo. Já que é nessa época da vida que precisamos ter melhores referências para nos ajudar, inclusive, na formação de caráter. E “O menino mais rico do mundo” tem esta proposta, ensinar de forma lúdica, soltar a imaginação e divertir”, acredita Marcelo.

 

Os 50 minutos de espetáculo são intercalados com músicas de autoria do próprio autor Xico Abreu, que ganharam arranjos de Hairlan Rodrigues e Gustavo Moura, com direção musical também de Diego Benicá. Marcelo Ricco está se reencontrando com a música. Seu primeiro espetáculo teatral foi no musical “Nas ondas do rádio”. Agora, está sendo acompanhado pela preparadora vocal Iaiá Drummond, que coincidência ou não, foi colega de palco do ator quando fez o meu primeiro musical, há 15 anos.

 

O tema é bastante atual e importante para ser tratado com as crianças, que devem ser orientadas desde cedo sobre como cuidar do planeta, em todos os sentidos, desde tratar bem as pessoas, a importância da leitura, até a preservação do meio ambiente.  Na peça, a reciclagem ganha um defensor quando o personagem principal da montagem é um menino catador de papel. Ele usa a imaginação para prender a plateia e narrar sua vida com delicadeza e poesia, presente desde o começo da peça quando o garoto diz que, como não sabe quem é seu pai, escolheu o céu como pai; é poético também no momento em que borboletas são descritas como “flores que voam”. “O espetáculo é feito pra crianças, mas sem idade definida. Aliás, acreditamos que por se tratar de uma história que foge ao contexto dos tradicionais “contos”, todo mundo irá curtir, rir e se emocionar, inclusive os adultos”, acredita.

 

Ficha Técnica:

Autor: Xico Abreu | Diretor Geral (Cenário e Figurino): Diego Benicá | Elenco: Marcelo Ricco | Produção: Sala 7 Produções | Trilha Sonora Original - Músicas: Xico Abreu / Arranjos: Hairlan Rodrigues e Gustavo Moura | Gravação, mixagem e masterização: Stúdio HP | Preparação Vocal: Iaiá Drummond | Preparação Corporal e Coreografias: Ana Amélia Cabral | Iluminação: Luiz Henrique Moura | Adereços: Paulo Viana | Execução de Figurino: Costurando Arte (Márcia Corrêa) | Cenotécnica: Companhia Cenográfica (Felício Alves) | Maquiagem: Grabriela Domingues | Imagens: Personnalité Produções | Fotografia: Grafê Ateliê da Imagem (Alyson Jardim) | Programação Visual: Insight Comunicação e Cultura (Cláudio Néstor e Marcio Miranda) | Assessoria de Imprensa: Luz Comunicação (Jozane Faleiro) | Produção Executiva: Carol Fonseca.

 

Serviço:

“O Menino mais rico do mundo”

Data / hora: De 14 à 29 de março – Sábado e Domingo, às 16h

Local:  Cine Theatro Brasil Vallourec – Teatro de Câmara (Av. Amazonas, 315 - Centro)

Preço:  R$ 15,00 Nos postos SINPARC (Avenida Afonso Pena, 1055 - Mercado das Flores e FNAC – BH Shopping)

                R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia-entrada) na bilheteria do teatro.

 

Classificação: Livre / Duração: 50 minutos

Informações: (31) 3222.4389 | (31) 7564.9814

 

Informações para a imprensa:

Luz Comunicação - Jozane Faleiro

31 88280906 / 31 35676714 / 92046367

contato@jozanefaleiro.com

 

Arquivos para Download: Sala de Imprensa