CCBBBH apresenta o projeto “Caffeine Trio na Era do Rádio”

De 8 a 11 de setembro, o Trio formado por Sylvia Klein, Renata Vanucci e Carolina Rennó recebe para shows Maria Alcina, Arrigo Barnabé, Elza Soares e Alaíde Costa

 

O Centro Cultural Banco do Brasil de Belo Horizonte (CCBBBH) dá continuidade à programação comemorativa de seus três anos, realizando o projeto “Caffeine Trio na Era do Rádio”, no qual o Trio, formado pelas cantoras Sylvia Klein, Renata Vanucci e Carolina Rennó, convidam importantes artistas do cenário nacional para uma homenagem aos anos de ouro do rádio. A ideia é mesclar a música erudita e lírica presente no trabalho do trio, com a música popular brasileira, mostrando arranjos contemporâneos e ousados. No repertório entre outras canções, estão Tahí, Aurora, Tico tico, Carinhoso, Na baixa do sapateiro, Com que roupa, Quizas, South american way, Aquarela e muitas outras. Dia 8 de setembro, O Trio recebe Maria Alcina, interpretando Carmem Miranda. Esse show está reservado exclusivamente aos clientes do Banco do Brasil, com entrada gratuita. No dia 9, elas dividem o palco com Arrigo Barnabé, relembrando canções de Lupicínio Rodrigues; dia 10 é a vez de Elza Soares, cantando seus sucessos daquele período. E dia 11, Alaíde Costa apresenta as principais canções de seus mais de 50 anos de carreira. Os ingressos custam R$ 10,00 e ocorrem no Teatro II, às 20h30, no CCBBBH que fica na Praça da Liberdade. 

 

O Caffeine Trio traz para a música popular o tom da larga trajetória que as cantoras Sylvia Klein, Renata Vanucci e Carolina Rennó tem na música erudita. Por onde passam,  elas comovem o público, refrescando a memória afetiva musical das pessoas, além de possibilitar, com ludicidade, de se conhecer novos sons. Musicalmente, o Trio expõe um estilo pouco explorado no Brasil - o erudito -  e, ao mesmo tempo, imprime uma outra ideia estética de canções já conhecidas pelo grande público. O resultado é um show bem humorado, vintage e cheio de estilo. Ao trazer esses importantes artistas da Era do Rádio, junto, para o palco, o Trio Caffeine lembra as canções do período, ao mesmo tempo em que abre a acessibilidade de mistura ao swing, manouche jazz e o close harmony, estilos pouco trabalhados no cancioneiro brasileiro. A objetivo é mostrar novas possibilidades estéticas conhecidas pelo grande público e dá frescor ao novo cenário musical.

Maria Alcina nasceu em 1949. Tornou-se conhecida do público em 1972, quando venceu o "VII FIC" interpretando "Fio Maravilha", de Jorge Ben. No ano seguinte, fez sucesso regravando a música "Alô! Alô!, de autoria de André Filho, samba anteriormente interpretado com muito sucesso por Carmem Miranda. Apresentando uma androgenia não muito comum na época e usando roupas e maquilagem extravagantes - foi comparada à Carmem Miranda, mais pelo visual que pela voz - adotou um estilo irreverente. Seu repertório inclui canções da"Pequena Notável", além de músicas de outras cantoras das décadas de 1930/1940, tais como Carmem Costa, Emilinha Borba, Marlene, Lana Bittencourt e Aracy de Almeida. Em 1973 , lançou o primeiro disco "Maria Alcina". Em 1979, lançou “Plenitude”. Na década de 1980, tornou-se jurada do programa de auditório de Raul Gil. Em 1985, lançou ”Prenda o Tadeu”. Por essa época, participou do "Projeto Pixinguinha" ao lado de Moreira da Silva, apresentando-se em várias capitais brasileiras. Ao lado de Emílio Santiago e Jamelão, apresentou-se nos Estados Unidos. Em 1992 lançou”Bucaneira”. Em 1995, retornou aos Estados Unidos para participar de homenagens à Carmem Miranda: shows e lançamento do disco "A lenda viva de Carmem Miranda (The living legen of Carmem Miranda)", no qual também interpretou algumas composições do repertório da "Pequena Notável".Retomou sua carreira fonografica gravando com o o grupo Bojo. Atualmente, segue em turnê com o DVD De Normal Bastam os Outros, comemorativo aos seus 40 anos de carreira, com músicas inéditas de Zeca Baleiro, Arnaldo Antunes e Karina Buhr.

 

Arrigo Barnabé é compositor, arranjador, músico e intérprete. Lançou, em 2011, um show cantando Lupicío Rodrigues. Nascido1951, possui oito álbuns lançados, e ganhou reconhecimento para o grande público logo com o primeiro disco, Clara Crocodilo, em 1980, quando foi recebido pela imprensa como a maior novidade na música brasileira desde a Tropicália. Em suas composições, mistura elementos e procedimentos da música erudita do século XX a letras ferinas sobre a vida na grande cidade. Com Tubarões Voadores, de 1984,  inicia uma pesquisa de unir música e história em quadrinhos. Em 2008, escreveu Caixa da Música e Out of Cage para o grupo Drumming, com direção cênica de Ricardo Pais. Atualmente, apresenta um programa de rádio na Rádio Cultura de São Paulo: o Supertônica.

 

Elza Soares, uma das mais importantes personalidades da história da música popular brasileira, voltou à cena no ano de 2015 em grande estilo com o show da turnê A Mulher do Fim do Mundo, 34o da carreira, sendo o primeiro álbum de inéditas da carreira da artista. O espetáculo e o disco foram aclamados pelo público e causaram enorme impacto na crítica, resultando em diversos prêmios nacionais e internacionais.  O projeto apresenta 11 faixas que transitam por gêneros diversos, como samba, rock, rap e eletrônico, em arranjos sobrepostos por timbres arrojados, ruídos, distorções e dissonâncias. Eleita em 2000 como a "Melhor Cantora do Milênio" pela BBC, de Londres, e do alto dos seus 60 anos de carreira, Elza Soares vive atualmente a apoteose de uma vida dedicada à música e leva aos palcos uma "ópera" emocional que retrata as mazelas da sociedade.

Alaíde Costa nasceu no Rio de Janeiro. É uma diva da música brasileira, dona de um jeito único de interpretar as mais variadas vertentes do cancioneiro nacional. Depois de dezenas de álbuns lançados - nos quais presenteia grandes compositores com seu estilo inconfundível -, recentemente, a artista lançou o disco "Canções de Alaíde", que reúne composições próprias, em parceria com figuras como Vinicius de Moraes, Johnny Alf e Geraldo Vandré. E, neste ano, comemora seus 80 anos de idade e 60 anos de carreira com novos projetos ao lado de Toninho Horta e Gonzaga Leal."

 

CAFFEINE TRIO

Sylvia Klein - Tem se destacado pelas sempre elogiosas produções de cantatas, missas e oratórios, como As Estações de Haydn, a Nona sinfonia e a Missa em Do Major de Beethoven, o Réquiem e a Missa de Coroação de Mozart, a Missa Solene de Gounod, e Carmina Burana de Orff, entre outras. E seus recitais com o pianista Wagner Sander, pelo Brasil, Washington (E.U.A.) e Londres (Inglaterra). Cantou sob a regência de renomados maestros e foi dirigida pelos diretores Tizuka Yamasaki, Mario Corradi, Beppe de Tomassi, Bibi Ferreira e Carla Camurati, entre outros.

 

Renata Vanucci - Venceu o concurso do BDMG cultural na categoria de canto erudito. Cantou como solista na Missa Solene (Rossini), Gloria (Vivaldi) Come ye sons of art (Purcell) e Messias (Haendel) e atuou na montagem da ópera “A Flauta Mágica” de Mozart ,como Terceira dama, Come ye sons of art (Purcell) e Messias (Haendel) e atuou na montagem da ópera “A Flauta Mágica” de Mozart como Terceira dama, atuou em LA Ciesca em Gianni Schichi, Azucena em Il Trovatore.

 

Carolina Rennó - Agraciada com o Prêmio do Juri Popular no Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão (2008). Atuou como solista nas obras, Magnificat e Cantata BWV 103 de J. S. Bach; Come, ye sons of Art de H. Purcell; dentre outras. Desde 2007, é corista contratada do Coral Lirico de Minas Gerais com o qual participou da execução de obras como Magnificat de J. S. Bach; Les Noces de I. Stravinsky; Nona Sinfonia de L. V. Beethoven; Falstaff , Macbeth e Aida de G. Verdi; Tosca de G. Puccini, Choro Nº 10 e Menina das Nuvens de H. Villa-Lobos; dentre outras obras realizadas juntamente com a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Orquestra Filarmônica de Minas Gerais e Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, sob a regência de importantes maestros do Brasil.

 

SERVIÇO

 

“Caffeine Trio na Era do Rádio” convida:

8/9 - Maria Alcina - exclusivo clientes Banco do Brasil - retirada de ingresso xxx

9/9 - Arrigo Barnabé - ingresso na bilheteria

10/9 - Elza Soares - ingresso na bilheteria

11/9 - Alaíde Costa - ingresso na bilheteria

 

Data/Horário: 08 a 11 de setembro - quinta a domingo - às 20h30

Local: CCBB BH - Teatro II - do CCBB BH - 264 lugares

Praça da Liberdade, 450 – Funcionários - Belo Horizonte

 

Ingresso: R$ 10,00 - na bilheteria do CCBBBH

Venda na bilheteria do CCBBBH

Funcionamento da bilheteria: de quarta a segunda-feira de 9h às 21h

Aceitam cartões de crédito e débito

Mais informações: (31) 3431-9400

 

Obs: O CCBB BH não tem estacionamento

 

Redes sociais: (twitter)/@ccbb_bh . (facebook)/ccbb.bh . (instagram)/@ccbbbh

bb.com.br/cultura fb.com/ccbb.bh twitter.com/ccbb_bh/ instagram.com/ccbbbh

SAC 0800 729 0722 – Ouvidoria BB 0800 729 5678 –  Deficientes Auditivos ou de Fala 0800 729 0088        

 

Assessoria de imprensa CCBB BH:

Barbara Campos Guimarães - (31) 3431-9412 - barbaracg@bb.com.br/ccbbbh@bb.com.br

 

Assessoria de imprensa

Luz Comunicação - www.luzcomunicacao.com.br

 Coordenação: Jozane Faleiro

jozane@luzcomunicacao.com.br

(31) 3567-6714  | 99204-6367