181014_213026 byWilianAguiar.jpg
081114_210926_byWilianAguiar-Edit.jpg
Teatro em Movimento, por meio do patrocínio do Itaú e do Instituto Unimed-BH, via Lei Federal de Incentivo à Cultura, e Teatro Sesiminas trazem a BH o espetáculo “Bibi Ferreira canta Repertório Sinatra”

 

No palco, a diva do teatro nacional canta em homenagem aos 100 anos de Frank Sinatra, com repertório que traz seus clássicos, além de suas interpretações de canções de Tom Jobim. Dias 15 e 16 de agosto, no teatro Sesiminas

 

O Teatro em Movimento e o Teatro Sesiminas recebem a atriz e cantora Bibi Ferreira no espetáculo “Bibi canta repertório Sinatra”. A montagem marca os 100 anos de nascimento do artista norte-americano, Frank Sinatra, a ser celebrado em 12 de dezembro. Acompanhada de um quinteto, sob a regência do maestro Fábio Mendes, no palco, Bibi passeia pelos principais sucessos de Sinatra (1915-1998) e por canções de Tom Jobim (1927-1994), gravadas por ele. A direção musical e a regência é de Flávio Mendes. As apresentações ocorrem dias 15 e 16 de agosto, sábado, às 20h e domingo, às 19h, no Teatro Sesiminas.

 

Para a realização de suas atividades, em 2015, o projeto conta com o patrocínio do Itaú e do Instituto Unimed-BH, via Lei Federal de Incentivo à Cultura.

 

Aos 93 anos de idade, e em 74 anos de carreira, Bibi já encarou grandes desafios: cantou Edith Piaf, Amália Rodrigues, Carlos Gardel, Dolores Duran, Chico Buarque, entre outros. Cantar Sinatra não seria diferente. Conhecida pela ousadia, ela é a primeira mulher a fazer um espetáculo só com músicas interpretadas por ele. “Sempre é uma ousadia qualquer coisa que envolva o Sinatra. Mas o repertório dele é fabuloso, foi mais isso que me empurrou a fazer o show. O repertório dele é muito popular”, revela Bibi.

 

A ideia do show surgiu de uma brincadeira nos bastidores, em torno de um certo temor que o cantor tinha, que a atriz chama de “efeito Sinatra”: o medo de abrir a boca para cantar e a voz não sair. Chamado de “A Voz” por sua modulação aveludada, Frank Sinatra tinha especial admiração pela bossa nova e gravou vários sucessos do maestro Tom Jobim. “Sinatra é maravilhoso, a voz dele é perfeita, tem uma tessitura muito ampla, vai das notas agudas às graves sem a gente sentir. Além do ótimo repertório, ele tem muito bom gosto, prova disso são as suas interpretações maravilhosas de Jobim, que incluímos também em nosso show”, explica Bibi.

 

Dentre as composições de Tom Jobim, imortalizadas por Sinatra, Bibi canta Dindi, Someone to light up my life, Water to drink, Quiet nights of quiet stars e Meditation.

 

A estreia do espetáculo ocorreu em setembro de 2014, em São Paulo, após dois meses com ensaios diários. Desde então, mais de 40 apresentações foram realizadas na capital paulista e no Rio de Janeiro, para público de cerca de 15 mil pessoas. Em Belo Horizonte, Bibi será acompanhada de um quinteto, sob a regência do maestro Fábio Mendes, parceiro de décadas da atriz e cantora. Nilson Raman, que também está ao lado de Bibi desde muitos anos, atua como mestre de cerimônias do show, contextualizando o repertório do espetáculo na vida e na obra de Sinatra.

 

Em Belo Horizonte, o último show de Bibi foi em 2013, quando apresentou o espetáculo “Historias e Canções”, onde foi gravado o CD/DVD, ainda a ser lançado. “É sempre emocionante ver a diva do Brasil em nossos palcos. Nós e o público sempre a referenciamos. Dona Bibi é uma cantora e atriz admirável. Um modelo para todos nós de energia e coragem, principalmente por cantar o inesquecível Sinatra”, destaca Tatyana Rubim, idealizadora do Teatro em Movimento, responsável por trazer os shows de Bibi Ferreira à capital mineira.

 

Set List -“Bibi canta repertório Sinatra”

 

(1) Strangers In The Night (Bert Kaempfert / Charles Singleton / Eddie Snyder)  (2) Night And Day (Cole Porter) 

(3) Please (Ralth Rainger/Leorobin)

(4) Ol' Man River (Oscar Hammerstein Ii / Jerome Kern)

(5) Nature Boy (Eden / Ahbez)

Autumn Leaves (Joseph Kosma / Johhny Mercer / Jacques Prévert)

Cheek To Cheek (Irving Berlin)

All Of Me (Gerald Marks / Seymour Simons)

Someone To Light Up My Life (A. C. Jobim / Vinicius De Moraes / Gene Lees)

(6) Dindi (A. C. Jobim / Aloisio De Oliveira / Ray Gilbert)

(7) All The Way (Sammy Cahn / Jimmy Van Heusen)

The Lady Is A Tramp (Lorenz Hart / Richard Rodgers)

(8) I Get A Kick Out Of You (Cole Porter)

(9) I've Got You Under My Skin (Cole Porter)

(10) You Make Me Feel So Young (Mack Gordon / Josef Myron)

(11) Rock Around The Clock (Bill Halley)

(12) Fly Me To The Moon (Bart Howard)

(13) That's Life (Kelly Gordon / Dean Kay)

(14) Meditation (A. C. Jobim / Newton Mendonça / Norman Gimbel)

Quiet Nights Of Quiet Stars (A. C. Jobim / Gene Lees)

Water To Drink (A. C. Jobim / Vinicius De Moraes / Norman Gimbel)

(15) My Way (Paul Anka / Claude François / Jacques Revaux)

(16) “New York, New York” (Fred Ebb /John Kander)

 

 

Críticas da imprensa

“(…) Prestes a completar 93 anos de vida, em 1 de junho, Bibi Ferreira parece se sentir jovem ao interpretar o repertório de Frank Sinatra. (…) Bibi brilha como cantora sem deixar a atriz fora de cena. Cheia de charme, após seu número inicial, ela volta a cantar Night and day e empaca intencionalmente na letra, para lembrar o nervosismo que paralisou Sinatra ainda no início da carreira. MAURO FERREIRA - BLOG NOTAS MUSICAIS

 

“Assistir Bibi Ferreira entoar os versos de Frank Sinatra é receita para arrepio fácil, olhos marejados e, por vezes, gestos descontrolados. Não à toa, o novo show da consagrada atriz, cantora e diretora, tem lotado o teatro (…).

GUSTAVO CUNHA - JORNAL EXTRA

 

 

Ficha Técnica

Roteiro: Bibi Ferreira, Flávio Mendes e Nilson Raman / Direção Musical e Regência: Flávio Mendes / Cenografia: Alexandre Murucci / Iluminação: Mário Martini / Realização: Montenegro e Raman / Co-Realização em Belo Horizonte: SESI / FIEMG e TEATRO EM MOVIMENTO, com o patrocínio do Itaú, e do Instituto Unimed-BH, via Lei Federal de Incentivo àCultura/ Produção local: Rubim Produções

 

Serviço: “Bibi Ferreira canta Repertório Sinatra”

Classificação: 12 anos -   Duração: 60 minutos –Gênero: Musical

Dias/horários: 15 e 16 de agosto de 2015, sábado às 20h e domingo às 19h

Local: Teatro Sesiminas - Rua Padre Marinho, 60 - Santa Efigênia

Ingressos: De R$ 150,00 a R$ 25,00

Meia entrada válida para maiores de 60 anos e para estudantes devidamente identificados (conforme MP 2208/2001)

 

R$ 50,00 - válido para os 20% da capacidade vendável do teatro em atendimento ao Vale Cultura. VENDA APENAS NA BILHETERIA DO TEATRO

10% da capacidade vendável do teatro que é destinada gratuitamente para entidades de baixa renda devidamente comprovadas.

 

Vendas: bilheteria do teatro e www.ingresso.com

 

Informações: Telefone:(31)  32417181 –sites: www.teatroemmovimento.art.br /

www.teatrosesiminas.com.br

 

Informações para a imprensa:

Jozane Faleiro - (31) 35676714 / 92046367 -  contato@jozanefaleiro.com

 

 

Teatro Sesiminas

Ao facilitar a participação na vida cultural, o SESI espera proporcionar qualidade de vida aos industriários, seus familiares e a sociedade em geral, favorecendo o fortalecimento da cidadania por meio da diversão.

 

Com bilheteria informatizada, o Teatro se caracteriza como uma moderna sala de espetáculos. O espaço é o primeiro teatro caixa preta do Brasil. Sua capacidade é de 660 espectadores, sendo 12 espaços para cadeirantes e 648 lugares, com 18 cadeiras para obesos. Está equipado com 02 camarins coletivos e dois camarins individuais, sendo que estes últimos levam o nome de Bibi Ferreira, em homenagem à diva do teatro, que apresentou no local, em 2008, o espetáculo "Às Favas com os Escrúpulos”, também em uma parceria com o Teatro em Movimento.

 

Teatro em Movimento

O projeto Teatro em Movimento, coordenado pela Rubim Produções, de Tatyana Rubim, foi criado há14 anos, com o objetivo de descentralizar o acesso às grandes montagens do eixo Rio-São Paulo, promovendo a circulação dos mesmos para outros Estados e também pequenas cidades. Desde então, contabiliza 177 montagens, que somam mais de 511 apresentações, envolvendo cerca de 539 artistas, em 14 cidades, 27 teatros e público superior a 365 mil pessoas.

Inicialmente, atuando em Minas Gerais e seu entorno, o projeto trouxe àcapital mineira e algumas cidades do interior, espetáculos com peso nacional, tendo no elenco atores como Bibi Ferreira, Thiago Lacerda, Vladimir Brichta, Cissa Guimarães, Mateus Solano, Glória Menezes, Antônio Fagundes, Nicete Bruno, Paulo Goulart, Marco Nanini, Luana Piovani, Lilia Cabral, Rodrigo Lombardi, Cláudia Raia, Marisa Orth, Renata Sorrah, Paulo Gustavo e muitos outros.  Dentre os espetáculos que o projeto deslocou para a capital mineira estão “Hamlet”, “Incêndios”, “Esta Criança”, “Gonzagão –a Lenda”, “Bibi Ferreira –Histórias e Canções”, “Quem Tem Medo de Virgínia Woolf”, “O Grande Circo Místico”, “New York, New York”, “Bem-vindo, Estranho”, “Milton Nascimento –Nada SeráComo Antes”, “Cassia Eller –o Musical”, “Azul Resplendor”, “Poema Bar”e muitos outros.

 

O projeto também já atuou em diversos Estados brasileiros, como São Luiz (MA), Vitória (ES) e Aracajú(SE).  Em Minas Gerais, além de Belo Horizonte, o projeto atua em Nova Lima, Betim e Araxá. Os resultados do projeto vão além da inclusão das cidades na circulação das montagens. A iniciativa possibilita a formação de um espectador mais crítico e de um público mais preparado e habituado a lotar as salas dos teatros. A ideia é consolidar o hábito de ir ao teatro e fomentar a cultura das artes cênicas, por isso os espetáculos acontecem ao longo do ano e não concentrados em um curto período como nos festivais. O teatro, sendo um agente de transformação social, é capaz de atuar como um difusor de ideias e de cultura podendo ser usado como um instrumento de comunicação. Para ratificar a potencialidade de transformação social e cultural do teatro e colocar em prática os objetivos do projeto, o Teatro em Movimento ainda promove, sempre que possível, oficinas gratuitas, palestras e workshops para profissionais da área e interessados. Dessa forma, cria-se uma rede de circulação de informação fortalecendo a possibilidade de sustentabilidade do setor cultural. 

Foto: Wilian Aguiar